Mordaça gay: querem calar a boca da Rozângela Justino

E o movimento homossexual continua com o seu rolo compressor em pleno vapor. Agora, a vítima da vez é a psicologa Rozângela Justino, que está sendo processada administrativamente pelo Conselho Federal de Psicologia, podendo culminar na perda da sua habilitação profissional. Isso porque Rozângela tem atuado em prol da reabilitação dos homossexuais, o que contraria a Resolução 1/99 da CRF, a qual considera que a “homossexualidade não constitui doença, nem distúrbio e nem perversão”.

O julgamento de Rozângela está marcado para o dia 31 de julho de 2009.

A cassação, é claro, foi pedida por associações gays e endossado por 71 psicólogos de diferentes conselhos regionais.

Por favor, se isso não for ditadura gay eu sinceramente não sei o que é.

Pergunto: Por acaso a psicóloga Rozângela Justino obriga os pacientes a farem terapia com ela?

Acredito que não. Tais pessoas a procuram exatamente porque querem mudar suas vidas. É algo voluntário. Mas o CRF não aceita isso. É como se esse órgão dissesse aos pacientes que eles não possuem problema algum, e que, portanto, não precisam de cura.

No plano jurídico, a Constituição Federal estabelece que é livre o exercício de qualquer trabalho, ofício ou profissão, atendidas as qualificações profissionais que a lei estabelecer (art. 5.º, inciso XIII). Temos aqui uma norma constitucional de eficácia contida, a requerer lei ordinária para sua regulamentação, e consequentemente, restringir a atuação profissional. Veja bem. Lei ordinária, e não uma simples resolução do conselho de classe, que no caso em questão, exorbita a sua competência, ferindo, portanto, o principio da legalidade.

Acesse o site de Rozângela Justino ou ABRACEH e veja como ajudá-la.

Anúncios

Homossexualismo é pecado, opinam os brasileiros

Para 58% dos brasileiros o homossexualismo vai contra lei de Deus. Uma pesquisa sobre sexualidade mostrou que 58% dos brasileiros consideram o homossexualismo “um pecado” contra as leis de Deus. O estudo foi realizado pela Fundação Perseu Abramo e pela organização alemã Rosa Luxemburgo Stiftung, que realizaram duas mil entrevistas nas cinco regiões do país. O objetivo era aferir a quantas anda o preconceito contra gays no Brasil, em um ano que deve ser decisivo para a comunidade homossexual – tramita Congresso Nacional o projeto de lei nº 122/06, a chamada lei anti-homofobia, que pode criminalizar manifestações contrárias aos gays. Mas para 29% das pessoas ouvidas, o comportamento homossexual é uma “doença a ser tratada”.

Segundo os organizadores da pesquisa, o estudo foi o primeiro a mapear de forma tão ampla o sentimento contrário aos homossexuais. No entender dos analistas, a principal constatação é de que o brasileiro não tem dificuldade de confessar suas ideias acerca do tema. Nada menos que 28% admitiram ter preconceito contra gays, lésbicas, bissexuais e transgêneros, a comunidade GLBT. Os números, divulgados pelo jornal Folha de São Paulo, foram recebidos com apreensão pelas entidades de defesa dos direitos do segmento.

Os maiores níveis de aversão à homossexualidade foram observados nas regiões Norte e no Nordeste. O levantamento mostrou alguns aspectos inusitados. A maioria das pessoas que responderam às perguntas disseram que não gostariam de ter um filho gay, mas que “procurariam aceitar” a situação. Houve um número razoável (23%) de defensores da tese de que a mulher “vira” lésbica porque não conheceu um “homem de verdade. Além da ideia de pecado, o estudo revelou que 84% dos brasileiros concordam plenamente com a tese de que homem e mulher foram criados por Deus para “cumprir sua função sexual”, ou seja, manter relacionamentos héteros, capazes de gerar filhos.

***
Fonte: Agência Folha via Púlpito Cristão

Comento: O objetivo da pesquisa já explica tudo: aferir a quantas anda o preconceito contra gays no Brasil. Ou seja, pouco importa o percentual de pessoas que são contrárias ao homossexualismo; para eles, tudo é preconceito.

Brasileiros não apoiam a homossexualidade

por Geremias do Couto

Embora tenha havido nos últimos anos intenso bombardeio através da mídia secular para minar os valores morais e tornar a sociedade simpática à prática homossexual, atribuindo-lhe característica de normalidade comum à diversidade humana, não é de fato bem isso que vêm logrando aqueles que fazem desta a sua batalha de vida ou morte.

Continue a leitura, clique aqui.

Serra inaugura em São Paulo clínica dirigida a homossexuais

serra_fuzil
Serra em outro evento

Deu no Jornal de Brasília (comento ao final):

São Paulo, 9 jun (EFE).- Foi inaugurada hoje em São Paulo a primeira clínica pública para atendimento exclusivo de homossexuais, travestis e transexuais, em uma experiência inédita no Brasil.

O centro de atendimento médico, inaugurado pelo governador do estado, José Serra, terá profissionais nas áreas de medicina, enfermaria, psicologia, nutrição e dietética e fisioterapia especializados no atendimento a gays.

“Recebemos este hospital com muita felicidade. É um pontapé inicial para que outras cidades façam o mesmo”, afirmou Alexandre Santos, presidente da Associação da Parada do Orgulho de Gays, Lésbicas, Bissexuais e Travestis e Transexuais.

Ele afirmou que a diferença desta clínica começa na recepção: “Em outros hospitais, alguns funcionários não sabem como lidar com detalhes, como na questão do nome” em casos de transexuais.

“Mas o mais especial será que teremos urologistas e endocrinologistas especializados, por exemplo”, ressaltou.

A inauguração do centro de saúde faz parte das atividades que precedem a 13ª Parada do Orgulho LGBT, que deve atrair cerca de três milhões de pessoas nas ruas de São Paulo, segundo os organizadores.

Durante o desfile, a Secretaria de Saúde distribuirá um milhão de preservativos e fará testes para detectar aids. EFE

Fonte:

Comento:

Então. Temos aí mais uma prova robusta da segregação que estão levando a efeito no Brasil. Vejam vocês, foi criada uma clínica para atendimento exclusivo de homossexuais, travestis e transexuais, concedendo a eles privilégios especiais em detrimento dos direitos das demais pessoais. Hetero não tem vez. É só homossexual. Se você não for gay, travesti ou transexual, esqueça, pois não será atendido. Vá buscar atendimento em outro lugar. É isso que o governo de São Paulo está fazendo.
Se isso não for uma forma de discriminação contra os heterossexuais, então eu não sei dizer o que é. Separar as pessoas por aquilo que eles denominam de “opção sexual” é de um desvario e de uma irresponsabilidade que não tem tamanho. É mais uma evidência de como o movimento gay tem conseguido espaço dentro dos círculos do poder; não bastasse o governo federal, agora também no Estado de São Paulo.
Além de ser um ato discriminatório e ofensivo à moral, representa também um enorme desrespeito para com a sociedade de um modo geral, já que a inauguração de uma clínica dessa natureza pressupõe que o governo de São Paulo tem oferecido atendimento de primeira em todas as áreas da saúde. É como se tivesse cumprido o dever de casa; feito a sua obrigação e partisse agora para as obras “acessórias”, “voluptuárias”.  Mas não é o que acontece. Assim como nos demais estados, o atendimento hospitalar é um verdadeiro caos. Pessoas estão morrendo em leitos. Faltam médicos e medicamentos.
Portanto, estão fazendo do dinheiro público papel de troca simplesmente para agradar os homossexuais. É o totalitarismo em evidência!

É uma lástima!

Divulgação: www.comoviveremos.com