Um pastor no TED: Idéias que merecem ser disseminadas

O TED é uma plataforma de divulgação de conferências com os maiores especialistas do mundo. Seu lema é “ideias que merecem ser disseminadas”.

Nesta palestra, o pastor batista Jeffrey Brown fala sobre o programa “Boston Miracle” que diminuiu a violência juvenil em Boston em 79%.

O vídeo é um refrigério em tempos de violência crescente e espiritualidade alienada.

Jeffrey diz que tinha a intenção de ser pastor de uma mega igreja, mas se deu conta que a sua vocação era outra. Pastor de um igreja de vinte membros, viu a necessidade de intervir na realidade social da comunidade que desmoronava ao seu redor, com as drogas e violência de gangues controlando os jovens nas ruas.

O primeiro passo para a recuperação: ouvir esses jovens, não apenas pregar para eles e ajudá-los a reduzir a violência em seus próprios bairros.

O vídeo é curto, mas a mensagem é poderosa!

Primeiramente, nos faz lembrar a importância do envolvimento da igreja com a comunidade local. O crescimento econômico tem feito com que as comunidades cristãs construam grandes templos longe dos seus bairros de origem, em busca de maior espaço e estacionamento. O resultado disso é o afastamento da igreja local da comunidade.

Segundo, Jeffrey recorda que a redução da violência começa não na punição, mas na prevenção. A solução não é simplesmente uma questão de construir mais prisões e encarcerar mais criminosos. O “melhor modo de reduzir o crime não é reagir depois do fato com castigos e reabilitação, mas desencorajá-los antes que aconteça, criando uma vida em comunidade civilizada e ordenada”, escreveram Charles Colson e Nancy Pearcey.

Por fim, o vídeo nos mostra que as ideias cristãs tem muito a contribuir com a sociedade. Basta saírmos de nossos cativeiros culturais!

 

https://embed.ted.com/talks/lang/pt-br/jeffrey_brown_how_we_cut_youth_violence_in_boston_by_79_percent

Anúncios

Participação política dos evangélicos: Da laicidade à liberdade religiosa

por Valmir Nascimento

O presente artigo discute os fundamentos da legitimidade da participação política dos evangélicos no Brasil, tendo como referencial teórico Jónatas Machado e Michael Mandel. Enfatiza o conceito de cidadania política, destacando o direito fundamental à liberdade religiosa e o modelo de laicidade adotado no país.

Artigo publicado na Revista Democrática.

Acessar o conteúdo.

Caminhos contra a intolerância religiosa

Há dois caminhos viáveis para o combate à intolerância religiosa: liberdade religiosa e respeito. E ambos são vias de mão dupla. Um na esfera jurídica, outro no âmbito pessoal.
O direito à liberdade religiosa (não a diversidade religiosa) é um direito humano fundamental de primeira grandeza. Sem ele os demais direitos não se efetivam plenamente
Enquanto isso, o respeito é a virtude da consideração pelo outro. O respeito não implica aceitação acrítica do pensamento contrário, mas a valorização humana do próximo, ainda que divergente.
Com efeito, a tolerância não é o resultado da permissividade e um salvo conduto para a arbitrariedade.
A tolerância pode ser classificada de duas maneiras legítimas.
Primeiro, a tolerância legal que é o direito que cada pessoa tem de acreditar em qualquer crença (ou em nenhuma) que se queira acreditar. Tal tolerância é muito importante em nossa sociedade, e nós, como cristãos, devemos manter nossa convicção de que ninguém jamais deve ser coagido a crer no que cremos.
Segundo, existe a tolerância social, o compromisso de respeitar todas as pessoas mesmo que discordemos frontalmente de sua religião e ideias. Quando nos envolvemos com outras religiões e questões morais na feira ideológica, deve ser com cortesia e bondade. Temos de viver em paz com todos os indivíduos, mesmo com os de convicções e crenças divergentes.
Segundo D. A. Carson, “as melhores formas de tolerância, em uma sociedade livre e aberta, são as receptivas e tolerantes com as pessoas, mesmo quando há grande desacordo acerca das ideias delas”. Entretanto, hoje, a tolerância, em muitas sociedades ocidentais, foca cada vez mais as ideias, não as pessoas. O resultado de adotar essa nova tendência de tolerância “é haver menos discussão dos méritos das ideias conflitantes – e menos civilidade”.
A tolerância religiosa, portanto, não significa abraçar a crença do outra tomando-a como verdadeira. Tolerar significa suportar outrem na exata medida em que queremos ser suportados.
Por outro lado, a imposição ideológica de um tolerância absoluta com as ideias diferentes e até mesmo estranhas, no fundo revela um outro tipo de arbítrio e intolerância: a intolerância dos tolerantes!

Liderar – Encontro de Líderes de Jovens e Adolescentes | Norte

Vem aí mais um Liderar – Encontro de Líderes de Jovens e Adolescentes, agora na região Norte. De 20 a 22 de outubro de 2016.

O propósito deste Encontro de Líderes é compartilhar esta visão de Deus. É proporcionar aos líderes de juventude ferramentas que os ajude a lidar com os problemas dos jovens e adolescentes cristãos, seja no que diz respeito a sexualidade, drogas, universidade, redes sociais, louvor, santidade, e tantos outros dilemas e questionamentos vividos na juventude.

A CGADB e a CPAD lançam este audacioso projeto, que visa reunir milhares de pastores e de jovens líderes de todos os Estados da federação, para receber de Deus um direcionamento, para usar as ferramentas atuais e de impacto das massas a fim propagar as Boas Novas, de ganhar o Brasil e o mundo para Cristo, bem como despertar e consolidar o chamado de Deus para a liderança.

Serão 03 dias em que o Senhor usará cada palestrante em sua área de atuação, onde líderes que também tem desenvolvido projetos extraordinários com seus jovens e adolescentes poderão compartilhar suas estratégias de trabalho e de alguma forma trazer novas ideias, abrir a mente de muitas pessoas para sonharem um pouquinho mais alto e utilizarem os dons e talentos que Deus colocou em suas mãos, a fim de que possam em suas igrejas desenvolver também projetos grandiosos para Deus.

Valmir Nascimento será um dos palestrantes, com o tema O Jovem Cristão e a Universidade.

Se você é da região, participe!