Uma cosmovisão distintamente pentecostal


(….) De modo mais específico, em sintonia com o tom desta obra, devo realçar o que vem sendo chamado de “cosmovisão pentecostal”, uma perspectiva que, sem menosprezar a tradição protestante maior, enfatiza as características que assinalam a diferença do movimento pentecostal em relação às demais vertentes da Cristandade; uma forma distintiva de encarar a vida e a sociedade tendo como pressupostos o mover do Espírito e a atualidade dos dons espirituais. Nesse sentido, segundo Byron Klaus, “a cosmovisão pentecostal reflete um modo de entender que abrange a realidade de todos os aspectos da vida – naturais e sobrenaturais”. Assim, “A profecia, a orientação divina, as visões, as curas e os demais milagres, não são considerados exemplos estáticos daquilo que Cristo fazia. São realidades que continuamos a esperar nos dias de hoje; realidades estas que permitem que sejam demonstradas a grandeza e glória de Deus”.

“O fato de que o Espírito Santo quer estar operando poderosamente em, e através da vida de cada crente, poder tornar novo e emocionante cada dia. Esse revestimento de poder abre a porta para que o Espírito dê ao cristão um senso daquilo que precisa ser feito, e a capacidade de fazê-lo. Os pentecostais não somente afirmam que os cristãos têm o direito de experimentar o envolvimento sobrenatural do Espírito de Deus, mas também esperam que o poder de Deus permeie a vida de cada seguidor de Cristo”.

Tal cosmovisão pentecostal não é um mero amontoado de crenças teóricas, é uma forma dinâmica de entender a vida em toda a sua abrangência. Se, conforme os estudiosos têm assinalado, uma cosmovisão é antes de tudo um compromisso pré-teórico, “uma orientação espiritual mais que uma questão de mente apenas”, segue-se que o pentecostalismo tem melhores condições de prover uma visão de mundo mais adequada e consentânea com a natureza humana, tendo em vista sua ênfase na experiência e no relacionamento direto com Deus.

Parafraseando Bernardo Campos, o pentecostalismo não é só um ato noético (relativo ao intelecto) e explicativo, é também prático. Em outras palavras, diz Campos: “Não é uma mera questão intelectual, e sim um ato vivencial, experiencial, existencial e prático, teológico e espiritual”. A espiritualidade pentecostal leva ao viver, mover e existir em Deus (At. 17.28).

Valmir Nascimento

Trecho do livro: Seguidores de Cristo: Testemunhando numa sociedade em ruínas, CPAD, 2016.

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s