Uma pesquisa inconveniente sobre pastores e leitura da Bíblia


por Valmir Nascimento

Pesquisa realizada pelo editor e jornalista da Abba Press & Sociedade Bíblica Ibero-Americana, Oswaldo Paião, revela uma verdade inconveniente para o mundo evangélico: cerca de 50,68% dos pastores e líderes nunca leram a Bíblia Sagrada por inteira pelo menos uma vez. Foram entrevistados 1255 pessoas de várias denominações, sendo que 835 participaram de um painel de aprofundamento. A desculpa alegada? Falta de tempo.

Na matéria [1], Oswaldo conta que a pesquisa se deu através de uma amostragem confiável e que foi delimitada. Segundo ele a falta de tempo e ênfase na pregação expositiva são os principais impedimentos. “A falta de uma disciplina pessoal para determinar uma leitura sistemática, reflexiva e contínua das escrituras sagradas e pressão por parte do povo, que hoje em dia cobra por respostas rápidas, positivas e soluções instantâneas para problemas urgentes, sobretudo os ligados a finanças, saúde e vida sentimental”, enumera Oswaldo.

Diz ainda que, a maioria dos pastores corre o dia todo para resolver os problemas práticos e urgentes dos membros de suas igrejas e os pessoais. Outros precisam complementar a renda familiar e acaba tendo outra atividade, fora a agenda lotada de compromisso. Os pastores da atualidade, em geral, segundo Paião,são mais temáticos, superficiais, carregam na retórica, usam (conscientemente ou não) elementos da neurolinguística, motivação coletiva, força do pensamento positivo e outras muletas didáticas e psicológicas. Oswaldo arrisca dizer que muitos ‘pastores precisam rever seus conceitos teológicos e eclesiológicos, sem falar de ética e moral, simplesmente ao ler com atenção e reflexão os livros de Romanos, Hebreus e Gálatas. E antes de ficarem tocando Shofar e criando misticismo, deveriam ler a Torá com toda a atenção, reverência e senso crítico’.

Caros amigos, ao ler tal pesquisa lembro-me de outro estudo realizado pelo instituto George Barna, conforme relato de Charles Colson e Harold Ficket: 70% dos norte-americanos não são capazes de citar cinco dos dez Mandamentos; 50% dos jovens do último ano do ensino médio pensam que Sodoma e Gomorra era casados [2]. Recordo-me, ainda, daquela velha anedota segundo o qual alguns crentes pensam que as espístolas eram as esposas dos apóstolos (ou esposa do apóstolo Paulo), e que Jesus tocava um intrumento por nome esquife.

É cômico, porém, lamentável, percebermos tal analfabetismo bíblico entre o povo cristão. Alegar falta de tempo para leitura da Bíblia é uma desculpa por demais esfarrapada. Calha, então, relembrar as palavras de Paulo ao jovem obreiro Timóteo: “Procura apresentar-te a Deus aprovado, como obreiro que não tem de que se envergonhar, que maneja bem a palavra da verdade..” 2Tm 2.15

[1] Disponível em http://www.bibliaworldnet.com.br/index.asp

[2] A Fé em tempos pós-modernos. Editora Vida, p. 34

Anúncios

7 comentários em “Uma pesquisa inconveniente sobre pastores e leitura da Bíblia

  1. Paz e graça,

    As mensagens de muitos púlpitos confirmam esta dolorosa verdade, consequentemente vemos um rebanho faco, imedatista, incapaz de renúncias e quebrantamento, que ignoram a máxima do evangelho de Cristo: AMAR.

    Que Deus tenha misericórdia e ache em mim fé na sua volta…

    Abraço.

  2. Caríssimos, infelizmente, esta é a realidade da má formação de nossos obreiros. É inacreditável; mas, enfim, a verdade! Pastor que não tem tempo para conhecer a palavra de Deus, que nunca leu uma única vez, toda a escritura? A igreja está enferma! Não há frutos! Sua conversão não é frutuosa! É uma vergonha!
    Mais tarde, vamos colher o que? E Jesus, na ceifa?

  3. Isso explica o porquê da igreja evangélica ser uma fracassada em termos de educação religiosa, teologia bíblica e não ter nenhuma proposta para um Brasil tão sofrido e precisando de cada um de nós cristãos. Nossas doutrinas não servem nem para nós mesmos. A Bíblia sim! Os líderes que não a lêem tornam-se “um cego guiando uma multidão de cegos”. E os que a leram não têm coragem de ensiná-la aos outros pois a verdade é libertadora e eles preferem assim pois tornam seus irmãos mais fáceis de serem manipulados. “Isto é uma vergonha!”, diria Boris Casoy. Eu já li a Blia toda e foi uma experiência revolucionária no bom sentido da palavra. Me aproximou mais de Deus e do meu próximo para quem decidi viver a minha vida.

    Guilardo Tavares – J. Pessos – Paraiba.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s