Vergonha de ser virgem


Augustus Nicodemus

Alguns anos atrás fiquei estarrecido com uma estatística publicada por uma revista evangélica após entrevistas feitas com jovens evangélicos de 22 denominações. Estes jovens, a grande maioria composta de solteiros, haviam nascido em lar evangélico e eram frequentadores regulares de igrejas. De acordo com a pesquisa, 52% deles já haviam tido sexo. Destes, cerca da metade mantinha uma vida sexual ativa com um ou mais parceiros. A idade média em que perderam a virgindade era de 14 anos para os rapazes e de 16 anos para as moças.

Essa reportagem foi publicada em setembro de 2002. Desconfio que os números são ainda mais estarrecedores se forem atualizados para 2009.

Não vou aqui gastar muito tempo defendendo o que, acredito, a maioria dos nossos leitores já sabe que é nossa posição: sexo é uma bênção a ser desfrutada somente no casamento. Namorados que praticam relações sexuais estão pecando contra a Palavra de Deus. Mesmo que não tenhamos um versículo que diga “é proibido o sexo pré-marital” (desnecessário à época em que a Bíblia foi escrita, visto que na cultura do antigo Oriente não existia namoro, noivado, ficar, etc.), é evidente que a visão bíblica do casamento é de uma instituição divina da qual o sexo é uma parte integrante e essencial.

Alguns textos que mostram que contrair matrimônio e casar era uma instituição oficial entre o povo de Deus, e o ambiente próprio para desfrutar o sexo:

“… nem contrairás matrimônio com os filhos dessas nações”, Deuteronômio 7.3

“… Aumentem quanto quiserem o preço e o presente pela noiva, e pagarei o que me pedirem. Tão-somente me dêem a moça por mulher”, Gênesis 34.12

“… e lhe dará uma jovem em casamento…”, Daniel 11.17

“… Respondeu-lhes Jesus: Podem, acaso, estar tristes os convidados para o casamento, enquanto o noivo está com eles?”, Mateus 9.15

“… nos dias anteriores ao dilúvio comiam e bebiam, casavam e davam-se em casamento”, Mateus 24.38

“… Três dias depois, houve um casamento em Caná da Galileia, achando-se ali a mãe de Jesus. Jesus também foi convidado, com os seus discípulos, para o casamento”, João 2.1-2

“… Estás livre de mulher? Não procures casamento”, 1 Coríntios 7.27

“… Ora, o Espírito afirma expressamente que, nos últimos tempos, alguns apostatarão da fé, por obedecerem a espíritos enganadores e a ensinos de demônios, pela hipocrisia dos que falam mentiras e que têm cauterizada a própria consciência, que proíbem o casamento…”, 1 Timóteo 4.1-3

“… Se um homem casar com uma mulher, e, depois de coabitar com ela, a aborrecer, e lhe atribuir atos vergonhosos, e contra ela divulgar má fama, dizendo: Casei com esta mulher e me cheguei a ela, porém não a achei virgem…”, Deuteronômio 22.13-14

“… qualquer que repudiar sua mulher, exceto em caso de relações sexuais ilícitas, a expõe a tornar-se adúltera; e aquele que casar com a repudiada comete adultério”, Mateus 5.32

“… Se essa é a condição do homem relativamente à sua mulher, não convém casar”, Mateus 19.10

“… Caso, porém, não se dominem, que se casem; porque é melhor casar do que viver abrasado”, 1 Coríntios 7.9

“… Mas, se te casares, com isto não pecas; e também, se a virgem se casar, por isso não peca”, 1 Coríntios 7.28

“… A mulher está ligada enquanto vive o marido; contudo, se falecer o marido, fica livre para casar com quem quiser, mas somente no Senhor”, 1 Coríntios 7.39

“… ao que lhe respondeu a mulher: Não tenho marido. Replicou-lhe Jesus: Bem disseste, não tenho marido; porque cinco maridos já tiveste, e esse que agora tens não é teu marido; isto disseste com verdade”, João 4.17-18

“… alguém (o presbítero e/ou pastor) que seja irrepreensível, marido de uma só mulher…”, Tito 1.6

“… quanto ao que me escrevestes, é bom que o homem não toque em mulher; mas, por causa da impureza, cada um tenha a sua própria esposa, e cada uma, o seu próprio marido.”, 1 Coríntios 7.1-2

“… Digno de honra entre todos seja o matrimônio, bem como o leito sem mácula; porque Deus julgará os impuros e adúlteros”, Hebreus 13.4

“… que cada um de vós saiba possuir o próprio corpo em santificação e honra, não com o desejo de lascívia, como os gentios que não conhecem a Deus; e que, nesta matéria, ninguém ofenda nem defraude a seu irmão; porque o Senhor, contra todas estas coisas, como antes vos avisamos e testificamos claramente, é o vingador, porquanto Deus não nos chamou para a impureza, e sim para a santificação”, 1 Tessalonicensses 4.4-7

As passagens acima (e haveriam muitas outras) mostram que casar, ter esposa, contrair matrimônio é o caminho prescrito por Deus para quem não quer ficar solteiro ou permanecer viúvo. O casamento era, sim, uma instituição oficial em meio ao povo de Deus. As relações sexuais fora do casamento nunca foram aceitas, quer em Israel, quer na Igreja Primitiva, a julgar pela quantidade de leis contra a fornicação e a impureza sexual e pelas leis e exemplos que fortalecem o casamento como instituição para o povo de Deus em todas as épocas.

O ônus de provar que namorados podem ter relações sexuais como uma coisa normal é dos libertinos. Posso me justificar biblicamente diante de Deus por viver com minha namorada como se ela fosse minha esposa, não sendo casados? Como eu lido com essa evidência massiva de que o casamento é a alternativa bíblica para quem não quer ficar solteiro ou viúvo?

O que existe na verdade é aquilo que Judas menciona em sua carta, sobre pessoas ímpias que transformam a graça de Deus em libertinagem (Jd 4). Os argumentos do tipo, “quem casou Adão e Eva” demonstram o grau de má vontade e a disposição do coração de continuar na prática da fornicação, mesmo diante da resposta: “O caso de Adão e Eva não é nosso paradigma, a não ser que você tenha sido feito diretamente do barro por Deus e sua namorada tenha sido tirada de sua costela. Se não foi, então você deve se sujeitar ao paradigma que Deus estabeleceu para toda a raça humana, para os descendentes de Adão e Eva, que é contrair matrimônio, casar-se, um compromisso público diante das autoridades civis”.

Os demais argumentos — “é melhor que os namorados cristãos tenham sexo responsável entre sido que procurar prostitutas, etc.” nem merecem resposta. O que falta realmente é domínio próprio, castidade, submissão à vontade de Deus, amor à santificação.

Chegamos ao ponto em que os rapazes e as moças cristãos têm vergonha de dizer, até mesmo em reuniões de mocidade e de adolescentes, que são virgens.

Tenho compaixão dos jovens e adolescentes de nossas igrejas. Mas sinto uma santa ira contra os libertinos, que pervertem a graça de Deus, pessoas ímpias, que desviam nossa juventude para este caminho.

“A vingança pertence ao Senhor”, Romanos 12.19

Augustus Nicodemus
Pastor presbiteriano, chanceler da Universidade Presbiteriana Mackenzie, doutor em interpretação bíblica pelo Westminster Theological Seminary, Estados Unidos, e autor de, entre outros, “O que Estão Fazendo com a Igreja” (Mundo Cristão). Artigo publicado originalmente no blog do autor: O Tempora, O Mores!

Via Caosperança

Anúncios

11 comentários sobre “Vergonha de ser virgem

  1. Pois é. Infelizmente, a religião evangélica tem crescido, mas a qualidade dos crentes está caindo bastante. Desculpe dizer, mas acho que os crentes de hoje em dia são praticamente iguais ao povo do mundo, com a exceção de frequentarem igreja.

  2. Tenho uma pergunta! Por que não existe nem uma recomendação ou mandamento para que o homem case virgem no velho testamento? Seria por ser tal mandamento insustentável! Porque na lista de relações proibida nos livros de levítcos e números, ao invés de deixar claro que o homem só pode transar com a mulher que vier a ser sua esposa, se faz uma classificação de mulheres proibidas, deixando sobrar outras? Onde fica o ideal divino do: “serão dois uma só carne” na poligamia que nunca foi explicitamente proibida? Gostaria de uma resposta, sem a argumentação pueril de duas dispensação, posto que lei e graça subsistem eternamente na mente de Deus.

  3. Evangélicos: onde houver um prazer, tentam incutir uma culpa… Cristo ensina que quanto maior o pecado maior o perdão, e que o maior pecado é julgar ao invés de amar.

    É como se Deus nos colocasse a todos numa ampla high way dirigindo uma ferrari, o que deveria ser um prazer! O que faz a maioria dos evangélicos? Andam com o freio de mão puxado… vai entender!

    No “Antigo Oriente” provavelmente essas proibições arbitrárias e malucas devem ter feito algum sentido, mas quem de vós ainda vive sem televisão, internet, celular, avião, luz elétrica, etc? Por que então fingir que estamos neuroticamente parados no tempo do “Antigo Oriente”, congelados nessas regras caducas e infelizes?!

    Tenho certeza que um Deus que gosta de seus filhos não os privaria dos prazeres que ele mesmo criou, ou seria um Deus muito incompetente e indeciso…

  4. Pois bem meus queridos, essa é uma realidade patente em nossos olhos, mas fazer o quê? Foram muito de nós mesmo que deixamos isso acontecer dizendo aos nossos filhos, amigos, família e etc.: “Isso não tem nada a ver…” Ou seja, deixaram os bons costumes da Palavra de Deus. Agora sofremos as consequências em nosso próprio meio!

  5. Gresder Sil

    bom o artigo explica bem isso …
    ainda assim na lei mosaica tem muitas partes que argumentam da pureza tanto de homem quanto de mulher
    outra coisa, pra que se argumentar contra algo que não existe .. como o proprio artigo cita … não era necessário naquele tempo falar sobre pureza sexual dito que não era tão comum mulher se deitar com homens antes de se casar … tinha o tal do sinal da virgindade (o velho sangue no lençol) então como falar com um povo de “dura cerviz” sobre algo incomum de se acontecer …

  6. Querida Duda,

    Uma HighWay, com uma Ferari na mão… você pode correr à vontade, mas lembre-se: o carro não funciona muito bem… ele tem a tendência a falhar no freio e a direção puxa para a direita. E a pista então… cheia de buracos e óleo na pista. Não se engane, tanto o homem como o mundo foi corrompido pelo pecado (ou você vai contender contra Bíblia e contra as evidências que temos no mundo?). Sim.. poderíamos correr, mas nós, EVANGÉLICOS, sabemos muito bem que ser prudente é melhor que ser morto em seus delitos e pecados. Como dizem por aí: “refiro estar à porta da casa do meu Deus, a permanecer nas tendas da perversidade.” Mas, vai saber, tem gente que corre, mata todo mundo, acaba morto também e não aproveita a viagem… quer discutir o que é prazer???

  7. Duda:

    Vc disse: “Tenho certeza que um Deus que gosta de seus filhos não os privaria dos prazeres que ele mesmo criou, ou seria um Deus muito incompetente e indeciso…”

    Deus gosta de seus filhos e com certeza não os privou dos prazeres que Ele criou. Apenas definiu para eles como devem usá-los de modo a que esses prazeres sejam realmente prazerosos.

    Os parametros de Deus não são apenas leis loucas de um Deus déspota. A circuncisão além do aspecto religioso, preserva a saude sexual do homem e da mulher.

    Assim, como a promiscuidade acarreta terriveis prejuizos, o casamento não é apenas uma instituição divina em sentido religioso, mas tb amorosa da parte de Deus, pois preserva os conjuges dos prejuizos de uma vida promiscua.

    Assim, Deus não é incompentente nem indeciso, Ele é ordeiro, coerente e justo.

  8. Duda tem mais…

    “Cristo ensina que quanto maior o pecado maior o perdão, e que o maior pecado é julgar ao invés de amar.”

    Onde e em que tipo livro vc leu isto?
    Cristo jamais exalta o pecado. Ele nunca disse que quanto mais pecado, melhor (q é o q vc disse).

    Cristo disse: “Lc 7:47 Por isso, te digo: perdoados lhe são os seus muitos pecados, porque ela muito amou; mas aquele a quem pouco se perdoa, pouco ama.”

    A questão não é o pecado, mas o amor e submissão a Cristo.

    Outra coisa julgar não é pecado, pois desta maneira Cristo teria pecado, pois julgou e censurou os religiosos de sua época.

    O problema é o juizo temerário e injusto que destroi, não aquele que é feito em defesa da verdade.

  9. Boa tarde

    Eu concordo com o irmão Marcelo

    Antes de me converter, embora ter nascido em lar cristão, não entendia a palavra de Deus muitas vezes questionava sobre a veracidade da palavra de Deus. A dois anos atrás me convertí, fui baptizada, e pouco apouco comecei a entender e acompreender melhor a palavra por meio de muita oração, Jenjuns e sobretudo com sinceridade. Hoje sinto uma felicidade tão grande dentro de mim que não consigo Explicar .Apesar de ser mãe solteira de dois filhos o meu coração está cheio de paz. Hoje a minha luta é permanecer fiel a palavra até ao fim assim como Jesus.
    Por isso eu peço a todas as pessoas que ainda não conseguiram comprender na verdade quem é esse Deus que muitos buscam, que antes de fazerem qualquer comentário, procurassem primeiro orar a ele e obedessessem a palavra, porque aBíblia diz que tudo quanto nós perdimos ao pai em nome de Jesus crendo e não duvidando o pai concede.

    Por isso muita oração, muita entrega pessoal, muito perdão, muito amor, muita paciencia é o concelho que dou atodos que querem seguir a Cristo.

    E tenho a plena certeza que Deus se revelará nele.

    com amor

    Elsa Tchiangalala

  10. Bem! Não podemos negar o fato que cresce o número de jovens nas igrejas evangélicas, e é obvio que ser hoje gospel virou uma moda.

    Mas também não podemos negar o fato que as igrejas evangélicas tem tido um papel fudamental na sociedade brasileira. Claro que ainda há deficiencias, mas onde tem a perfeição?
    Só em Cristo.
    Mesmo com tantos jovens indo a igreja e por mais que não tenham compromisso com Deus, a Palavra de Deus te sido pregada.
    Deixemos claro uma coisa, o jovem que quer realemente viver uma vida Cristã Biblica tem que tambem querer esta mudança, e por muitos não quererem esta mudança, pessoas atribuiem apenas a responsabilidade aos lideres evangelicos sendo que a mudança deve ser reciproca, ou seja, a igreja estende a mão, ensina, cuida, e o jovem necessitado se esforça para mudar.

    Eu ainda creio na transformação de vidas atraves do poder de Deus.

    André Moraes

  11. Olá Marcelo!

    Eu não disse que “quanto mais pecado melhor”: você está tentando distorcer o que eu disse.

    Eu disse exatamente: “quanto maior o pecado maior o perdão”. Que a misericórdia divina é infinitamente maior do que a capacidade individual de pecar. Deu pra entender?

    Mas tudo bem Marcelo, se você acha que Deus não quer que você pratique sexo antes do casamento, eu passo a respeitar sua posição. Mas eu particularmente não acredito que seja a vontade de Deus porque está escrito num livro velho escrito por gente de épocas remotas. EU SINTO a vontade de Deus, ela é a voz da NATUREZA, falando em primeira pessoa, sem livros, sem dogmas, sem discussões teológicas, sem argumentos apologéticos.

    Pena que a sua experiência de Deus venha apenas de livros, que você não entenda que Deus precisa ser SENTIDO.

    Por isso as coisas de que eu falo não estão em livros: minha fé é antes de tudo SENTIDA, VIVIDA.

    Mas eu provavelmente não serei salvo porque gosto de sexo, e muito… então não tem porque se preocupar, a gente não vai se cruzar no tal paraíso que diz no livro… eu acho que o reino de Deus é aqui-agora, ou você faz dele um inferno ou um céu. Pra mim, tem sido o céu!

    Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s