Verdade absoluta ou relativa?


por João Paulo Mendes

Três anos se passaram desde que concluí o curso de Matemática, e então no final de 2009 decidi voltar à faculdade para cursar Direito, não por simples planos econômicos, mas por ver que em algumas áreas a Igreja precisa de mentes capazes para tratarem de alguns assuntos, e o campo do Direito tem coisas interessantes que me incomodam como cristão e cidadão, penso que serei mais útil, poderei ir mais adiante após ter adquirido mais conhecimento e habilitação para trabalhar nesse campo.


Determinado dia de aula ouço alguém dizer: não existe verdade absoluta, tudo é relativo. Dentro de mim a inquietação foi instantânea, assim que encerrou a aula fui falar com o docente, disse-lhe: sobre aquela frase de não existir verdade absoluta, ela é verdadeira? Sem respostas fiquei, pois não há resposta. A pessoa fez uma afirmação absoluta para fundamentar que a verdade absoluta não existe, a frase se auto detrói.
A referida frase é usada amplamente na sociedade atual, não se quer ter compromisso com nada, é moda dizer que tudo é relativo, que depende do ponto de vista, que é verdade para você mas não é para mim, enfim, o arsenal para livrar-se da verdade é grande, mas não se sustenta.

Quando Newton descobriu a lei da gravidade ela já existia. Certo? Ele não a inventou, apenas a descobriu, entendeu a verdade acerca da lei gravitacional. A lei é verdadeira, absolutamente verdadeira; sim ou não? Se alguém disser que não, é só subir em um alto lugar e se lançar de lá; o ceticismo quanto à verdade de Newton lhe salvará? Claro que não, a verdade é universal, imutável, impossível de ser alterada por quem a examina ou emite uma opinião.

Alguém pode dizer: não creio que morrerei se me jogar sob um ônibus em alta velocidade, isso é verdade pra outros, pra mim não. Certamente se alguém fizer isso vai ser levado em caixão à cova.
Quanto à professora da sala de aula, o que faz ela pensar que vários estudantes frequentam uma faculdade para aprenderem algo que possivelmente não é verdadeiro? Pois segundo ela não há verdade, então não preciso de ir à faculdade, pois podem estar mentindo o tempo todo, inclusive ela; devo acreditar em tudo que os professores falam em sala de aula?
 
Geisler cita que quando vamos ao médico queremos a verdade absoluta quanto à nossa saúde; quando num relacionamento também, não aceitamos mentiras do cônjuge; quando comprando um carro ou negociando também queremos a verdade acerca do que alvo do negócio. Então porque quando se trata de questões morais e religiosas não queremos a verdade? Queremos uma verdade que se aplique à nossa vontade, que nos agrade, que não fira nossa visão hedonista de mundo.
Quando se fala em aborto aceita-se a opinião de qualquer um, até ditos evangélicos legislam em prol da decisão da mãe, que ela escolha o que é certo. Mas o que é certo deriva-se da verdade, do verdadeiro e nessa questão ninguém quer saber o que é verdadeiro. A verdade é que não temos o poder de dar a vida, e nem devemos legislar sobre ela, se não a criamos não podemos matá-la. Assuma-se a verdade da irresponsabilidade de uma sociedade sem compromisso, promiscua, que faz sexo livremente sem pensar, gere e crie o filho(a) que livremente concebeu em meio a tanta liberdade. Ninguém quer saber a verdade quando se trata de aborto. Deus deu a vida, ele é quem deve tirá-la, a ele pertence.
Um campo mais espinhoso, o homossexualismo, é alvo do relativismo também. Eu escolho como usar meu corpo, dizem alguns. Tudo bem, o homem é livre para fazê-lo, mas a verdade é que a recompensa pelo mal uso é certa e grave, leia Romanos 1 e verá a origem da situção hodierna. Ah é discurso religioso, podem dizer! Não é não. Fomos feitos homem e mulher, perfeitos para a procriação e manutenção da espécie, o homem com orgão genital masculino e a mulher com o feminino, perfeitos, corpos que que se completam de forma harmônica em um ato criado por Deus para o casal. Agora querem mudar a natureza do homem, querem que aceitemos como verdade a libertinagem da atualidade e ainda, acima de tudo, calados. Como vão dar segmento à multiplicação da raça de forma natural aos seres humanos, homem com homem? Mulher mantendo relações com mulheres? Será que nossa perfeita anatomia está precisando de reparos? Será que um homem deve engravidar-se ou uma mulher conceber após um “ato sexual” com outra?
A verdade no aspecto sexual é que o ser humano foi criado homem e mulher, nada mais. Qualquer tentativa de desvio é mentir, é fugir da verdade. E como no exemplo do lei da gravidade e de atirar-se na frente do ônibus, a fuga da verdade ou tentativa de ignorá-la pode trazer consequências graves em vida; agora, imagine em relação à eternidade! Quão grave pode ser o ignorar a verdade daquele que criou o universo!
Como a verdade é excludente então não podem ser verdadeiros todos os supostos caminhos que levam a Deus. Como pode o Islã ser verdadeiro, o Cristianismo e o Espiritismo ao mesmo tempo?
Ensinam conceitos diferentes acerca da vida após a morte, ensinam coisas diferentes acerca de Cristo. Um só é verdadeiro, com isso, os outros tornam-se falsos. Pense nisso!
Deus fez o homem e proporcionou um meio para que esse voltasse a se relacionar com Ele após a Queda, esse meio é Cristo. Duvidas? Examine as evidências de Cristo em face das outras propostas.Não poucas pessoas, céticos, se converteram após examinarem as evidências, a veracidade de Cristo, o Filho de Deus. Mas lembre-se, o Verdadeiro exige mais que o reconhecimento da verdade por parte dos homens, requer obediência, pois só com atitudes mostramos que realmente compreendemos a Verdade.
Há Verdade absoluta e ninguém pode fugir dela, ainda que a ignore não fará com que ela desapareça.
Você como ser pensante e inteligente aceitará essa afirmação tão frágil que a verdade é relativa?
[Publicação autorizada pelo autor]
Anúncios

3 comentários sobre “Verdade absoluta ou relativa?

  1. O relativismo é o grande legado da filosofia existencialista, que infelizmente avança sobre os púlpitos liberais em nossas igrejas. A verdade não é abstrata, é um Homem/Deus. Em seu retorno, porventura o Filho do Homem achará fé na terra?

  2. Demonstra-se claramente que o texto defende um ponto de vista pessoal ( religioso). Mas o assunto é bem mais complexo! Uma páginas só não seria suficiente para realização de um estudo mais aprofundado. Mas se o propósito é esse, até aí sem problemas. Mas que tal fazer uma abordagem dentro da Filologia Bíblica a respeito da verdade absoluta? Abraço.

  3. OLÁ, MEU NOME É MARCELO EU ESTAVA FAZENDO UMAS PESQUISAS NA REDE COMO DE ROTINA QUANDO ACABEI OBSERVANDO O ARTIGO DO SENHOR JOAO PAULO SOBRE VERDADE ABSOLUTA GOSTARIA DE SABER QUAL A FINALIDADE DESTE COMENTARIO SE ELE PROVÉM DE PRINCÍPIOS SÉRIOS OU É APENAS MAIS UM COMENTÁRIO DAQUELES BASEADOS EM CRENÇAS PRÉ EXISTENTES E ESPERIENCIAS DE VIDA. OBRIGADO PELA ATENÇÃO DESCULPE DESDE DE JÁ QUALQUER INCOMODO ME INTERESSEI POR SER UM ASSUNTO MUITO IMPORTANTE UMA DAS BASES DO CONHECIMENTO.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s