Carta aberta ao Conselho Federal de Psicologia


Prezados senhores,

Manifesto publicamente minha preocupação quanto à possibilidade deste conselho em punir a Psicóloga Rosângela Justino por descumprir a resolução CFP 01/99 de 22 de março de 1999 que proíbe tratamento de homossexuais por psicólogos.

Pelo que sei a Dra. Rosangela simplesmente atende àqueles que incomodados por sua homossexualidade a procuram voluntariamente pedindo ajuda profissional quanto à crise existencial vivenciada. Assusta-me o fato de que o Conselho de Psicologia Federal considere a atitude de Rosângela discricionária e equivocada. Isto posto pergunto: Porventura não tem direito o que vive a homossexualidade desistir dela? E se o tem, não possui também o direito de receber ajudar profissional de um terapeuta quando solicitado? Ao afirmar que não, o CFP age de modo arbitrário aplicando sobre milhares de cidadãos brasileiros uma imposição de conceitos e valores absolutamente antagônicos a liberdade.

Prezados senhores a Carta Magna assegura a garantia dos direitos constitucionais conforme os termos dos Arts. 3º, IV; 4º, II; e 5º, IV, V, VI, VII, VIII, IX, X, XIII, XIV, XV, XVI, XVII, XVIII da Constituição da República Federativa do Brasil, promulgada em 5 de outubro de 1988, que nos assegura o direito de:a) PENSAR (liberdade de consciência);b) EXPOR NOSSAS IDÉIAS (liberdade de expressão, intelectual e científica);c) ASSOCIAR PARA APOIAR OS QUE QUEREM SER APOIADOS (liberdade de atuar e/ou fornecer informações à sociedade).
Sendo assim, manifesto meu repúdio a possibilidade de qualquer tipo de punição a psicóloga Rosângela Justino, como também a proibição deste respeitado órgão em não permitir que seus afiliados exerçam liberdade científica, de pensamento, e expressão.

Atenciosamente,

Renato Vargens

Anúncios

8 thoughts on “Carta aberta ao Conselho Federal de Psicologia

  1. Provavelmente não será nem lida…

    Além dos ativistas do sexo pelo intestino, o Conselho Federal de Psicologia é um antro de consciência social…

    Se vocês estão me entendendo…

  2. Queridos,

    Nesta sociedade relativista qual é o referêncial que dispomos prá se pronunciar diantes dos fatos? É hora de pensar!

    Ser contra homossexualismo não é preconeceito, é conceito cristão (Romanos 1.24-32). Neste caso onde se apóia ou se fundamenta os direitos de uma sociedade?

    Precisamos enxergar o mais depressa possível e tomar providências, quanto a “caduquice” do nosso Código Penal.

    A açõe do Conselho é bizarra, política e está buscando dar resposta (que não tem), a um “grupo classista” que ainda não aprendeu a conviver com a sua própria liberdade dentro de uma perspectiva de bom senso nas relações sociais. As outras classes que não comungam com essas práticas, também exigem respeito!

    A necessidade constantes de evidências, a vida em guetos, a forçada de barra para que sejam vistos como normais, evidência a própria crise interior deste segmento, e até onde se sabe, a Dra. Rosângela Justino, oferece seus préstimos profissionais. Qual é o problema? O problema está com quem a procura (ou com o Conselho), não com a Doutora.

    Infelizmente, quando estes se expõe em suas passeatas com atos de provocações e afronta a tudo que eles não consideram como bons costumes, quem os pune?

    A Justiça de nosso País precisa rever suas posturas, assim como o Conselho de Psicologia precisa rever posicionamentos.

    O respeito deve ser dado a todos (indistintamente), e a intolerância punida. Eu vejo de forma comum essas opções sexuais, porém não vejo como sendo normal… e se a Justiça de qualquer segmento não vê assim, que rasgue a Bíblia, o Lívro da Lei, a Torá, o Talmude, e mande prender a todos de confissão Judaico Cristã.

    A Doutora tem todo direito e dever de atender a quem quer que a procure sob alegação de que deseja se tratar e se o GLBT, não enxerga sua própria situação como doença, por quê se preocupar?

    Rev. Ielves Camilo – Recife/PE.

    Rev. Ielves Camilo, foi Coordenador e Diretor Hospitalar por cinco anos. Secretário de Saúde no Estado da Bahia.

    Como educador social, dá palestras há 20 anos sobre Sexualidade, Gênero, Planejamento Familiar, ISTs e Aids.

    Como Teólogo Reformado e Professor de Psicologia, participa de Encontro de Casais e Jovens em encontros Nacional.

  3. O problema, Ielves Camilo é que quando você diz que “não é normal” ser homossexual, você já está sendo intolerante. Você que deve se achar muito normal, né não? Os outros é que são anormais ou diferentes porque não vivem exatamente como você quer…

    Mas esse raciocínio deve ser muito sutil para a sua cabecinha cheia de — como você chamou o preconceito — “conceitos cristãos”…

    Se você me disser que Cristo, o que pregava a tolerância e o amor indiscriminado, julga, como você julgou, a homossexualidade, acho que você ainda não entendeu nada e nem vive a verdadeira fé!

    Os problemas que vivem os homossexuais não está neles e sim na sociedade hipócrita e intolerante em que vivem! Essa sociedade de gente como você que aponta o seu dedo e diz que eles não são normais é o que faz com que eles sofram! Vocês é que não os amam e não os aceitam!

    “Se você julga as pessoas, não tem tempo de amá-las” (Mark Twain)

  4. A psicóloga deve ser punida sim!

    Estamos tentando tornar a sociedade mais livre, mais feliz, menos hipócrita e intolerante: se um psicólogo diz que pode “corrigir” alguém, já está dizendo que há um “erro” nesse alguém a ser corrigido. E isso perpetua o preconceito e a discriminação sexual, aumentando o sofrimento humano: o que para a profissão de psicólogo constitui um absurdo do ponto de vista ético, profissional, e legal.

    Talvez esse comentário não mude as idéias de ninguém, e talvez nem seja lido, mas eu tenho esperança de que alguém leia e pare pra pensar.
    Então, quem estiver lendo, pense um pouco, pelo menos um pouco, antes de se posicionar.

    “Se você julga as pessoas, não tem tempo de amá-las” Mark Twain

    Abraço!

  5. Meu Deus! Ielves Camilo é PROFESSOR DE PSICOLOGIA!!! No mínimo ele também pode estar ensinando que hossexualismo é doença, ou coisa pior!

    DEUS NOS ACUDA!

  6. Sr. Duda,

    Lamento sua “expressão reducionista” em fazer análise precipitada. Julgar a atitude de alguém em nehum momento se está definindo ou determinando o caráter dessa ou daquela pessoa.

    Sua resposta, foi inpensada, irrefletida, acerca de todo o texto e o que mais lhe chamou a atenção foi a palavra “anormalidade”….

    Talvez a vontade inconsciente de ser aceito, valorizado, inserido e visto pela sociedade já denota uma auto-exclusão não?!

    Quando queremos dizer o que somos, já não somos a muito tempo….!

    Forçar a ceitação de sí mesmo aos outros no mínimo já denuncia algo mais sério do que a simples aceitação de minhas preferências… quaisquer que sejam!

    Tenho no meu ciclo alguns conhecidos, alguns amigos com a mesma opção sexual que a sua. Uns me pergutaram o que eu achava quanto pessoa e quanto profissional…

    “Desarmados de sí mesmos” e “sem preconceitos”, conversamos de forma sadia e inteligente diante das concordâncias e discordâncias.

    Meus posicionamentos Sr. Duda, não são concebidos mediante “imposição da justiça”, de “associações ativistas” e muito menos sob “afronta” e “desrespeito” de quem quer que seja. Dentro de uma perspectiva dialogal é possível o respeito mútuo… isto se chama vida em sociedade.

    Quando o senhor fala inconsequentemente que a psicológa deve ser punida, já está assumindo além de uma atitude “guetista”, “separatista” e consequente “preconceituosa”, ignora que a profissional foi procurada para dar seus préstimos profissionais ou seja, alguém, que atribuiu problemas a sí mesmo (de qualquer que seja a natureza) e como profissional, ela o atendeu. E neste caso o Senhor a julgou setenciadamente!…

    Quem está sendo preconceituoso?…
    Quem está com medo de quê?…
    Quem está querendo uma sociedade mais lívre? …
    Quem fica procurando nos BLOGS o que os outros pensam acerca de minha própria opção?… isto é normal?

    Talves para o senhor, seja fácil falar de hipocrisia, mas o que dizer de “infelizes homossexuais infelizes consigo mesmo? … com crises existenciais tremenda sendo sufocados pelos próprios pensamentos?

    … Me poupe senhor Duda!… Com suas observações e colocações pífia não concebe o que é psicologia e muito menos sobre o viver hipócrita!

    Com certeza alguém está sendo hipócrita, preconceituoso e discriminador… não acha?!

    O que o senhor entende de problemas existenciais e interiorização do ser, quando diz que o problema está na sociedade?

    A sociedade senhor Duda, é o reflexo do que somos!

    Eu não tenho problemas com minha opção religiosa. Assim como o senhor tem o direito de opinar e expor sua linha de pensamento, a CONSTITUIÇÃO me dá o mesmo direito.

    Não faço uso de pressões de quaisquer natureza, não persigo e não preciso usar de sutilezas.

    Respeito-o embora não conhecendo-o e discordo do seu posicionamento… isto chama-se CIVILIDADE, DEMOCRACIA, LIBERDADE DE EXPRESSÃO, TOLERÃNCIA, e nestes aspectos, nossas posturas devem ser mútua.

    Outra coisa: “Não tenho a pretensão de mudar pensamento de ninguém e muito menos as pessoas”.

    Caso eu seja procurado por alguém que necessita de meus préstimos profissionais ou pastoral e ainda, solicitando apóio, conselho… eu atenderei.

    Serei antes de tudo solidário e humano!

    O meu problema senhor Duda, não é com a opção sexual de ninguém; o meu compromisso é com DEUS e com o SER HUMANO, feito a Sua imagem e semelhança!

    Quando discuto psicologia quer seja na sala de aula, no gabinete, em palestras ou seminários, busco interagír acerca do SER HUMANO e a sua formação psicológicas.

    As Patologias, deformidades e esquisitices diagnosticadas ou “coisas piores”, ficam por conta de quem as ouve e se percebem inseridas nelas.

    Quanto a sua frase, é muito bonita porém, pragmática…

    Entendo que na falta do amor próprio face ao existencialismo humano e suas implicações, existem o Pastores, o Padres, o Psicólogos, Psiquiatras, Xamãs – cada um com o seu método peculiar, buscando ajudar aquele que está distante de sí mesmo, que como reflexo do próprio ser… JULGA SABER AMAR.

    Me perdoe por haver exposto o seu nome, apenas procurei usar do mesmo dispositivo e critério usado pelo senhor.

    Coloco-me a sua inteira disposição para um diálogo inteligente sem confrontos.

    Em Cristo Jesus,

    Rev. Ielves Camilo.

  7. Olá Rev. Ielves Camilo!

    Você na sua resposta epistolar disse que tinha amigos e conhecidos com a “MESMA OPÇÃO SEXUAL” que eu…

    Perdão, Rev. mas quando foi que eu lhe disse qual era a MINHA opção sexual?! Parece que você está tecendo e projetando fantasias a meu respeito.

    Acho que o psicólogo precisa de um psicólogo…

    Abraço!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s