Agência Senado faz referência à UBE sobre postagem contrária aos projetos de criminalização da "homofobia"


União de Blogueiros EvangélicosEm matéria publicada no site do Senado Federal, a agência jornalística da Casa faz referência ao blog da União de Blogueiros Evangélicos como um dos movimentos existentes na internet que se manifestam em contrariedade aos projetos de lei que criminalizam a chamada “homofobia”. A reportagem enfoca os debates acalorados que marcam a tramitação do Projeto de Lei 122/06, e que acabaram ganhando grande repercussão na rede mundial de computadores.

A postagem no blog da UBE citada na matéria foi publicada em novembro de 2007 pelo blogueiro Eliseu Antônio Gomes.

Caros blogueiros, a publicação dessa matéria pela Agência Senado demonstra claramente a necessidade de continuarmos, nesse momento, a batalhar pela fé que uma vez nos foi confiada (Jd. 1.3); levantando a bandeira do evangelho na internet e nos posicionando de modo contundente em contrariedade aos projetos de lei que tentam criar uma mordança e acabar com a liberdade de expressão no Brasil.

Não se trata de perseguição, mas da necessidade de colocar as coisas em seus devidos lugares. As pessoas podem, dentro de um regime democrático de direito, viver da forma como bem entenderem, desde que, é claro, não violem os princípios legais. O que não se pode é querer que todos aceitem acriticamente todo e qualquer tipo de comportamento sem a possibilidade de manifestação de idéias, em um verdadeiro regime totalitário.

Segue teor da matéria.

Debates acalorados marcam tramitação de proposta contra homofobia

Fonte: Agência Senado Via JusBrasil

Durante o período em que tramitou na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), o PLC 122/06, que criminaliza a homofobia, foi debatido em uma acalorada audiência pública. Nem mesmo as rosas brancas distribuídas na ocasião por militantes da Associação Brasileira de Gays, Lésbicas, Bissexuais, Travestis e Transexuais (ABGLT) arrefeceram a polêmica.

Presente ao debate, Ivair Augusto dos Santos, representante da Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, defendeu a aprovação da proposta argumentando que os homossexuais convivem rotineiramente com a discriminação e a violência. A cineasta Tizuka Yamasaki, que tem um filho gay, também argumentou que a proximidade afetiva tem o poder de cortar a barreira da discriminação.

Mesmo condenando atos discriminatórios contra homossexuais, representantes de grupos católicos e evangélicos defenderam a rejeição do projeto. Para o assessor da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) Paulo Leão, além de inconstitucional, o projeto atentaria contra a liberdade de opinião. Opinião semelhante foi manifestada pelo reverendo Guilhermino Cunha, para quem a livre manifestação de afeto por homossexuais em locais públicos, como garante o projeto, feriria a Constituição e o Código Penal.

Na ocasião, a senadora Ideli Salvatti (PT-SC) sustentou que as desigualdades não serão superadas se as diferenças não forem encaradas com fraternidade e respeito. Para a senadora Patrícia Saboya (PSB-CE), quem discrimina homossexuais deve ser punido com rigor. Também se declararam a favor do projeto os senadores Geraldo Mesquita Júnior (PMDB-AC) e Serys Slhessarenko (PT-MT).

Contrário à aprovação do texto, o senador Marcelo Crivella (PRB-RJ) defendeu a revisão de alguns pontos a partir de negociação entre as partes. O senador Magno Malta (PR-ES) avaliou a proposta como “draconiana”, afirmando que a mesma seria inconstitucional.

Enquanto o projeto tramita no Congresso, as manifestações favoráveis e contrárias à proposta ganharam a internet. Diversos espaços de discussão foram criados na rede mundial de computadores, entre os quais os sites do movimento Lésbicas, Gays, Bissexuais e Transgêneros ( https://www.naohomofobia.com.br ) e o da União dos Blogueiros Evangélicos ( http://www.ubeblog.com/2007/11/pl-1222006-votem-contra-todos-os.html ).

Anúncios

6 comentários em “Agência Senado faz referência à UBE sobre postagem contrária aos projetos de criminalização da "homofobia"

  1. Amém, vamos continuar. Não nos cabe apoiar a homofobia: as manifestações de pilhéria, irreverência, grosseria e ofensa, a respeito de qualquer pessoa, devem ser repudiadas pelo povo de Deus. Mas a verdade deve ser dita, com firmeza e amor, e o homossexualismo é pecado.

  2. A coisa é bem simples, meus amigos. Primeiro você proíbe a homofobia. Todo mundo tem que gostar de gays e da sua conduta. É proibido não gostar do gayzismo.

    Depois que você proibir a homofobia, você proíbe a Igreja. A Igreja não é contra os gays?

    Não pode ser contra os gays!

    Se a Igreja e Deus são dois homofóbicos, eles devem ser proibidos pelo governo, pois estão incitando ao “ódio”…

    Daqui alguns anos, os movimentos gays e a esquerda anti-evangélica (abortistas, ateus, macumbeiros, comunistas, maconheiros, onanistas), vão criar uma campanha relacionando a Igreja e o Nazismo. Pronto! Vão proibir a Igreja.

    O sentimento anti-cristão que acompanha a esquerda sempre começou de fininho. Foi assim em todos os países de esquerda: na União Soviética, na China, em Angola, na Uganda, no Congo, na Alemanha Ocidental, em Cuba. Fidél Castro expulsou os cristãos de Cuba. Os ditadores africanos mandavam matar os lideres cristãos. Mao Tsé colocava fogo em pastores e padres vivos…

    A retidão moral que o Cristianismo exige é uma pedra no sapato do relativismo moral da esquerda. O trabalhai e não invejai são duas pedras no caminho da revolução socialista que pretende acabar com o capitalismo.

    Escutem o que estou dizendo: em poucos anos, o evangélico vai sendo proibido e preso aos poucos. No começo, ele será proibido de fazer visitas em hospitais (“religião em hospital”), de pregar em público (“atentado ao pudor”), de fazer cultos (“muito barulho”), as escolas evangélicas…

    Pressionado pelo politicamente correto, o pastor evangélico vai começar a mudar o seu discurso. Ele vai incluir o homossexualismo como coisa de Deus. Ninguém quer ser “homofóbico”, não é verdade?

    A Igreja já começou a ajoelhar. Muitos evangélicos, principalmente aqueles em escalões mais altos (faculdades, empresas, cargos públicos), já estão dizendo que eles têm amigos gays, que o homossexualismo é normal, que é tudo opção e tal.

    Ou seja, o errado é Deus e a Igreja…

    Com o tempo, as perseguições vão se tornando mais evidentes. O Brasil será um país complacente com tudo que a Igreja discorda, mas altamente intolerante com as expressões da Igreja. O sentimento mais verdadeiro do pensamento anti-cristão não é fazer justiça. Ele sente a justiça como meio para afogar a Igreja.

    O único trabalho que o movimento gay terá para exterminar a oposição religiosa é doutrinar as crianças nas escolas, através de estudos fraudulentos, da pressão de professores, da ridicularizarão da Bíblia, dos estímulos a conhecer o próprio corpo (entenda-se: praticar novas formas de sexo), das notícias falsas, da televisão.

    Depois que dominar a mente do povo de Deus, o homossexual vai minando a Igreja fragilizada aos poucos se dizendo vítima da terrível “homofóbia do Deus que não existe e não passa de incentivo ao preconceito”. Ele vai fazer a semelhança entre a Igreja e o Nazismo.

    O povo, dopado pelas ações do demônio em forma de novílingua e do politicamente correto, vai engolir que o Cristianismo sobre homossexuais é tão racista quanto o Nazismo foi com os negros. É ódio e crime. Se a homofobia é crime, as entidades que não afagam os gays são quadrilhas.

    Aí vão surgir os Lulas e Obamas, os populistas, sempre a favor da “diversidade” (sodomia), do “direito da mulher” (aborto), dos “relaxantes sociais” (maconha). Sob comparações mentirosas e populistas com nazistas, para um iluminado desses suprimir o direito a religião de uma minoria frágil e incerta não custa nada…

    Veja: a Igreja prega a castidade e o casamento. No último carnaval, o Lula jogou camisinhas (!) para o povão. Era para trepar mesmo, mas com camisinha…

    Esse sinal foi claro de que o Lula não está nem aí para a população evangélica e os seus valores. Outro sinal foi o Lula dizer que “se opor ao homossexualismo era doença perversa”. Ou seja, todos os pastores e padres são doentes pervertidos…

    Barack Obama é pior! Ele está maquinando como instalar o aborto no mundo. Obama abraçou o assassinato, assim como ele abraça os árabes (muçulmanos), crítica os judeus, defende o casamento gay, usou drogas na adolescência, assumiu (“yes, we can”) que deseja um novo Estados Unidos (que sempre foi cristão).

    Se a nova ordem mundial defende tudo que a Igreja condena, o resultado de tal contraste será a proibição da Igreja por parte do governo, mais cedo ou mais tarde.

  3. Coreia do Norte: Mulher executada após distribuir bíblias

    24-07-2009

    A Coreia do Norte executou publicamente uma mulher cristã em Junho por ter alegadamente distribuído a Bíblia, proibida naquele país comunista, denunciaram hoje activistas sul-coreanos.

    Ri Hyon Ok, 33 anos, acusada de espiar para a Coreia do Sul e para os Estados Unidos e de organizar dissidentes, foi executada na cidade de Ryongchon, cidade do noroeste da Coreia do Norte perto da fronteira com a China a 16 de Junho, refere um relatório de uma aliança de várias dezenas de grupos de activistas anti-Coreia do Norte.

    Os pais, o marido e três filhos de Ri Hyon Ok foram mandados para um campo-prisão para políticos na cidade de Hoeryong, no nordeste do país, um dia depois da execução, ainda segundo o relatório.

    A informação do relatório é impossível de ser verificada devido ao secretismo que vigora na Coreia do Norte, onde as autoridades controlam apertadamente a vida dos cidadãos.

    Segundo um relatório anual de organizações de direitos humanos sul-coreanas que operam na Coreia do Norte, divulgado quinta-feira, as execuções públicas naquele país têm registado uma diminuição nos últimos anos, mas continuam a ser aplicáveis a pessoas que cometam crimes como o de assassinar ou de fazer circular filmes estrangeiros.

    A Coreia do Norte afirma que garante a liberdade de religião aos cerca de 24 milhões de habitantes, mas o culto de personalidade em torno do fundador Kim Il-Song e o filho, o actual líder Kim Jong-Il, funciona como uma religião do Estado comunista.

    O Governo norte-coreano autorizou a existência de três igrejas, uma católica e duas protestantes, mas a estas só podem acorrer estrangeiros, estando vedado o acesso aos norte-coreanos.

  4. Julio Severo foge da justiça brasileira e se diz “perseguido”
    Por moi 25/07/2009 às 20:10
    Severo recebeu ajuda para escapar do Brasil depois que o filósofo brasileiro Olavo de Carvalho fez um apelo público por ele em seu programa de rádio na internet.
    Carvalho, que está vivendo nos Estados Unidos, diz que considera o Brasil perigoso para os conservadores, e chamou Severo ?o brasileiro mais discriminado e perseguido?.

    O “homólogo” julio Severo está nos Estados Unidos,vivendo às custas das mentes pequenas que se influenciam por seus argumentos infundados. Grande mérito ao filósofo brasileiro Olavo de Carvalho!

    E VEJA O QUE LI EM UM DESSES SITES EVANGÉLICOS:”A que ponto chegamos? Não vivi na época da ditadura, mas sei que muitos tiveram que buscar exílio em outros países para sobreviver. E agora isso se repete, sem que ninguém faça nada.”

    ………………………………………………………….

    EXÍLIO!!! Que termo para definir o que houve com esse proeminente ?pastor?! Essa palavra significa o equivalente à proibição de um cidadão de viver em sua Pátria materna, sendo este conduzido a um país que lhe dê asilo. O que qualquer retardado vê que não é o caso.Não houve nenhuma determinação judicial para que Júlio Severo deixasse o Brasil ou fosse expatriado. Pelo contrário,a Justiça Brasileira deseja muito vê-lo, o mais breve possível,para que o mesmo possa se defender das acusações que lhe foram imputadas. Não posso de forma alguma, deduzir que algum cidadão esteja acima das Leis constituídas e se o nosso caro Júlio não infrigiu nenhuma Lei, ele não deve temer a Justiça.

    O fato é que ele deixou o país deliberadamente,após ser acionado por conta de declarações feitas acerca dos homossexuais e, se provadas que foram discriminatórias, ele vai ser devidamente julgado e punido(se condenado). Mesmo que a discriminação por orientação sexual ainda não seja crime,a Lei maior do país declara taxativamente que ninguém pode ser discriminado por razão de sua cor,condição social, etnia, religião ( e dessa parte dos fãs de Julio Severo entende muito bem) ou por qualquer outro motivo. Querem Lei mais clara que esta?

    Crer, como muitos, que uma democracia é uma sociedade livre, onde vale tudo, é um grande equívoco! Jamais existirá algo parecido: uma liberdade geral e total, onde é possível dizer e se comportar socialmente como convém a cada um. Democracia verdadeira se instala quando liberdades e não-liberdades fazem parte do chamado pacto social. “A Democracia exige que as “Liberdades civis” sejam protegidas por direitos legalmente definidos e por deveres a eles correspondentes, que acabam implicando **limitações da Liberdade**” (Felix E. Oppenheim ? verbete “Liberdade”, Dicionário de Política, BOBBIO e outros, UNB 2002, 12ª edição).

    A liberdade de expressão é um conceito considerado freqüentemente integral nas democracias liberais modernas,para eliminar a censura.
    O discurso livre é também apoiado pela Declaração Internacional dos Direitos Humanos, especificamente sob o artigo 19 da declaração universal dos direitos humanos e o artigo 10 da convenção européia de direitos humanos.
    O direito à liberdade da expressão para a maioria dos países,não é considerado ilimitado; os governos podem proibir determinados tipos prejudiciais de expressões. Sob a lei internacional, as limitações no discurso livre estão restritas à um rigoroso teste de três critérios:

    1) ser baseados na lei,

    2) perseguir um objetivo reconhecido como legítimo,

    3) e ser necessário (isto é, ter um propósito) para a realização desse objetivo.

    Se a liberdade de expressão fere um destes outros direitos,ela se transforma em libertinagem na expressão.Tem-se o direito e o dever de zelar pelos direitos violados, pois o direito de expressão por parte de quem o exerceu torna-se desrespeitoso e pernicioso.

    Veja, dizer que o homossexualismo é pecado é um direito garantido pela lei.Já quando alguém diz que o homossexual é um doente,um tarado ou um desviado,esse alguém entra no campo das ofensas e não mais no da fé, pois essa afirmação não tem o apoio da medicina,psicologia e nem mesmo a Bíblia afirma isso.

    Portanto a diferença é bem simples, o que houve por parte do Júlio foi a total falta de fé, pois o mesmo enveredou por teorias que não têm lastro bíblicos que as sustentem. Dizer que o gay prejudica a família sem estudo de caso, além de uma demonstração de ignorânci,é uma leviandade, pois o que prejudica as famílias atualmente é a falta de valores.

    Desta feita, a homossexualidade em nada tem a ver com essa esfacelação familiar, uma vez que vários estudos apontam o contrário. Quantos lares homossexuais o senhor Júlio acompanhou? Quantas entrevistas e pesquisas foram feitas? Qual o suporte téorico filosófico que sustenta suas idéias? Isso ele nunca apresentou. Nem mesmo os versículos bíblicos usados são suficientes para sustentar a tese de que o gay é um pervertido que ameaça a sociedade. Uma vez dito isto, só nos resta apoiar a atuação do Justiça Brasileira para se fazer cumprir o que diz a Constituição.

    Ora,por que tanta polêmica por parte do meio evangélico em relação ao Gays e leis anti-discriminação? O mundo está cheio de coisas que desagradam a Deus, e eu não vejo as Igrejas se posicionando tão veementemente contra tudo isso. Cito até: miséria, desigualdade social, fome, destruição do meio ambiente, violência, guerras, desvalorização da vida, etc. São abominações diretas contra o Criador e eu não vejo,honestamente,a Igreja em campanha contra isso tudo.

    Por que o foco está nos Gays? Será que eles são os responsáveis por todas essas mazelas?Lembrando que algumas delas,a própria Igreja alimenta. Israel praticamente destroçou a vida de civis inocentes na Palestina e eu não vi um só Pastor pedir sequer oração (já que ação não há mesmo) pelas vítimas da guerra.

    Será que uma guerra pelo poder agrada a Deus e não deve ser censurada nas Igrejas? Por favor, alguém pode até tentar me convencer que isso tudo é para que as escrituras se cumpram, mas não justifica a inércia da Igreja ante à injustiça e ao uso da força bruta.

    Cristo nunca se calou ao se deparar com injustiças, Cristo nunca abandonou o homem à própria sorte, e a Igreja no auge da sua arrogância, acha-se no direito de julgar os homossexuais, quando na realidade fecha os olhos para as coisas que realmente desagradam a Deus. Nesse ponto a Igreja Católica dá um banho nos evangélicos pois, mesmo também não fazendo nada eficaz, ao menos o Papa vai a público repudiar tais atrocidades.

    Ora sinceramente irmãos, se é que posso lhes chamar assim, sabe-se que a salvação não vem pelas obras para que ninguém se glorie, mas também que a fé sem obras é morta. E outra, se realmente entendem que a lei contra a discriminação de cunho sexual, é perseguição aos crentes, mirem-se no exemplo dos mártires que seguiram ao abatedouro como cordeiros e com honra, em nome da fé, felizes em serem perseguidos pelo amor à Cristo. Pois quem perde a vida por Ele na verdade está ganhando a vida eterna.

    Resta saber quantos de vocês têm coragem de enfrentar os leões, quantos de vcs têm coragem de enfrentar as fogueiras, quantos de vcs têm coragem de enfrentar a forca, quantos de vcs têm coragem de enfrentar a prisão, a mutilação, o extermínio, a tortura. Ser Crente hoje é muito fácil, gostaria é ver vocês e o senhor Júlio Severo nos primórdios da Igreja e a convicção de cada um ante ao martírio por não negar o nome Cristo. Lutem, mas lutem com dignidade e com honra para a glória de nosso Senhor Jesus Cristo. E por falar nisso, observem bem, não seria bem mais honroso para Júlio e ele se apresentasse e provasse que sua fé é verdadeira? Fica a reflexão.

  5. Os parlamentares e o próprio governo vão ter que criar escolas para cada credo religioso, inclusive para os ateus. Acho que vocês perderam o juízo e estão declararando guerra-santa entre as religiões! Por favor, desistem desta sandice enquanto há tempo! Sim, eu tenho filho na escola, não sou católico e não tenho nada contra os católicos, daí o meu filho aprender dogmas de lá, isto é ridículo, confesso que farei um escandâlo e prometo fazer uma grande revolução! O ensino religioso ou ateu, isto é opcional, cada um passa para os seus filhos aquilo que gosta, sem interferência do Estado ou da Igreja Católica. Graças a Deus que o Marquês de Pombal nos fez este favor lá atrás, agora querem voltarem a estes conceitos retrógodos! Eu sempre achei errado os feriados católicos parar o país, bem como o uso de imagens ou crucifíxos nas repartições públicas. Se isto acontecer, eu tiro o meu filho da escola no mesmo dia, a não ser que os nobres parlamentares crie uma escola específica pra cada religião! Este Papa é muito cheio de querer e querer nem sempre é poder, aliás manda casar e ter filhos ao invés de querer impor conceitos para os filhos dos outros! Olha não vai prestar este projeto já está dando o que falar…! Caros parlamentares me desculpa pelo desabafo, mas não dá pra ficar calado!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s