O casamento é importante?


Casamento

por Zig Ziglar

O antropologista britânico John D. Unwin dirigiu um estudo profundo sobre oitenta civilizações que nasceram e morreram durante um período de uns quatro mil anos. Dr. Unwin descobriu que uma ameaça comum ocorrida em todas elas. Em cada caso elas iniciavam-se com um ponto de vista conservador, que envolvia fortes valores morais e enfatizava o valor da família. Depois de certo tempo, a conduta conservadora tornava-se mais e mais liberal, os valores morais declinavam e a família sofria.

Em cada caso, enquanto a família deteriorava-se a própria civilização desintegrava-se, e em todos os oitenta casos, a queda da nação foi relacionada com a queda da família. Na maioria dos casos a civilização decaiu dentro de uma geração, com a queda da união da família.A pesquisa de Unwin revelou que quando um homem se apaixona por uma mulher, dedicando-se a cuidar dela, protegê-la e sustentá-la, ele de repente se torna o esteio da ordem social. Em vez de usar suas energias perseguir suas luxúrias e desejos, ele se esforça para construir um lar e poupa para o futuro, procurando conseguir melhor trabalho. Seus impulsos egoístas são inibidos, seus desejos sexuais são canalizados. Ele descobre um sentimento de orgulho, sim, orgulho masculino, porque ele é necessário à sua esposa e filhos. Todos se beneficiam com o relacionamento.

Quando a sociedade é composta por milhões de famílias, estabelecidas em uma moral de conduta saudável, a nação torna-se forte e estável. Força e solidariedade são as grandes contribuições que o casamento traz para as civilizações. Mas na ausência da obrigação familiar, a ruína é inevitável. Quando maridos e mulheres não têm motivos para juntar suas energias a fim de sustentar o lar, então abusam das drogas, do álcool, da promiscuidade sexual, há instabilidade no trabalho, e pode ser esperado um irreprimido comportamento agressivo na cultura. E a falta de energias objetivas é o começo do fim.

Estudos incontáveis feitos por destacados (e variados) cientistas, psicólogos e sociólogos, como Pitirim Sorokin, Arnold Toynbee, Will e Ariel Durant, Willian Stevens, Sigmund Freud, James Dobson e o já citado John Unwin, comprovaram que existe um lado positivo na história.

As civilizações prosperam sob a restrição moral e sexual. A energia sexual é a mais criativa de todas as energias, e por causa da nossa natureza, quando somos fieis ao parceiro, possuímos uma carga extra de energia. Essa carga propicia uma abundância para nos tornarmos mais produtivos e criativos, o que em geral resulta em melhores trabalhos de literatura e de ciência, assim como na produção de bens materiais. Não só a família se beneficia com o uso dessa energia sexual, como a energia gerada acaba por elevar o padrão social, melhorando a qualidade de vida para todos. O uso específico dessa energia sexual extra é feito como um ato altruísta de amor e generosidade. O homem ou a mulher, por outro lado, que dissipa a energia sexual com casos extraconjugais, está se portando de maneira egoísta e irresponsável, procurando apenas divertimento, sem consideração aos danos feitos tanto ao companheiro e aos filhos, quanto aos parceiros de sexo e suas famílias. O resultado líquido é que a produção fica refreada porque o egoísmo não gera a mesma espécie de criatividade gerada pela abnegação.

Extraído do livro “Namoro no Casamento”, de Zig Ziglar, Editora Maltese-norma, 1992.

Fonte: Urro do Leão

Divulgação: www.comoviveremos.com

Anúncios

6 comentários sobre “O casamento é importante?

  1. Olá, eu utilizei esta postagem no meu blog, com os devidos creditos e links para a postagem original, se você estiver de acordo, senão pode me contatar pelo email que eu retiro ela de lá.

    Tenho acompanahdo o blog a algum tempo e tem sido uma grande benção.
    Obrigado

  2. Muito bom!!!
    Hà + ou- 1 ano visito esse blog e as matérias publicadas são fantásticas.
    A gradeço ao Valmir e a todos que colaboram com esse blog que edifica muitas vidas.
    Talvez, você (Valmir) não tenha noção do impacto do seu trabalho. Mas seus artigos tem ajudado a nossa Igreja a enfrentar os desafios da atualidade.
    Sou professor de EBD e se todos pensássemos como você, seria mais uma reforma na história da Igreja Protestante. Um grande abraço.

  3. Tenho uma dúvida: Seria pecado a mulher não ter desejo de se casar, optar para ser solteira mesmo sendo evangélica?

    Aguardo reposta,

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s