HUMANISTAS E SUA JUSTIÇA PARA DESUMANOS


por José San Martin

Mais uma vez o jornal francêsLe Monde tenta inocentar uma assassina fria de crianças — leia-se os próprios cinco filhos degolados em Nivelles, ao sul de Bruxelas. O crime completará dois anos em fevereiro de 2009. Parece que, para esse jornal, quem morreu, morreu. A vida continua e especificamente a vida da infratora “viva e fragilizada” é que conta. A outra vez foi o caso da mãe que fazia tricô num parque francês e simplesmente enlaçou o pescoço da filhinha com o novelo e a matou asfixiada. Na época, o jornal se saiu com a mesma arenga de vulnerabilidade de uma mulher e seus problemas. Azar o da criança que inocentemente se sentou entre as pernas da “mãe” e acabou eliminada friamente.
Parece que o Le Monde mais uma vez dá uma senha: “Quando você deprimido e fragilizado emocionalmente matar alguém mande seu médico nos procurar e deixe a parte da defesa social com a gente”.

No caso atual, mais uma vez, o texto é de uma cara-de-pauzice sem tamanho, escrito por um redator que tenta convencer os leitores a partir do relato “desconcertante” do psiquiatra da acusada que disse no tribunal que recebera uma carta da cliente com a revelação do projeto macabro de suicídio execução dos filhos.

Levando-se em conta seu estado psicológico aparentemente muito deteriorado, seria necessário julgar [a assassina] Geneviève Lhermitte? Ela não deveria ter sido internada, mesmo decepcionando uma parte da opinião pública?

Lhermitte era uma mulher em grande sofrimento, apanhada em um ambiente sufocante e uma vida de “mãe perfeita”, esposa atenta, “de empregada”, como ela diz, de seu marido e de seu pai adotivo, o doutor Michel Schaar, que há muito tempo vivia na casa da família. Deprimida, ansiosa, irritável, frágil: essa mulher que pensava há muito tempo em suicídio se dizia “emparedada” e teria em um momento considerado que, para ela e seus filhos, “a morte era mais favorável que a vida”. Era sua “única porta de saída”.

Nada foi dito sobre a responsabilidade do profissional em procurar evitar a chacina. Também não foi explicado porque ela não tirou a própria vida. Ah, mas esses detalhes agora são irrelevantes ao Le Monde, que precisa mesmo é advogar em favor de quem sobreviveu.

Ele [psiquiatra] disse que esperava a volta do marido da acusada, Bouchaïb Moqadem, que visitava sua família no Marrocos, e o próximo encontro com sua paciente, dentro de alguns dias. Depois da primeira carta ele teria pensado na hospitalização da paciente e na colocação dos filhos, mas “não lembra” se lhe falou disso. A acusada também não lembra.

Se a moda assassina pegar todas as donas de casa “sufocadas” pelos afazeres domésticos… E se pegar tantos quantos levam uma vida de dificuldades…

Ah, mas o Le Monde tem de vender para os potenciais decepcionáveis que não pensam pós-modernamente como eles? Não pode decretar a inocência de acusados via textos de redatores engajados com o desrespeito ao direito à vida? Não pode disfarçar seu discursinho repleto de humanismo enrustido anos após a traumática guilhotina? Tampouco pode revisar as leis que protegem crianças e dão o que merecem aos que matam sem motivo? Bom saber…

Na verdade, a Europa e seus tribunais, tanto quanto os tribunais dos EUA, vão sendo transformados em exemplos de condescendência e “compreensão” com criminosos coitadizados à base de testemunhos de psicólogos e psiquiatras idiotas-instruídos engajados no humanismo-hedonismo. Nem falemos na legalização de práticas imorais de sociedades sem freios por juízes que entendem estar acima das próprias leis.

Essa tendência não deve causar surpresa em relação a governos que acham simples assassinar bebês em abortos legalizados ou descartá-los em nome de pesquisas “científicas” à base do mata-mata de anencéfalos. Tampouco assustaria gente que tem permissão judicial para morrer e matar no corredor da “mortanásia”.

Mas os gritos inocentes estão clamando por meio de células congeladas tanto quanto sêmens que incômoda e incompreensivelmente ainda geram vidas e por isso mesmo nunca poderiam ser descartados para ser utilizados sem ética ou outros critérios biológicos e racionais.

Igualmente, não será surpresa quando começarem a ser compreensivos com traficantes, pedófilos-assassinos (que têm aos montes na França-Bélgica de Marc Doutroux, ou do “Ogro das Ardennes” Michel Fourniret e sua mulher Olivier), e demais criminosos jamais aceitos pela opinião pública contrária ao Le Mondee cia.

O que fazer, então com essa gente impossibilitada de conviver em sociedade? Creio e proclamo que todos merecemos uma nova chance, apesar de imerecedores. Porém essas pessoas têm de assumir suas responsabilidades e acatar a decisão de tribunais imparciais. Têm de chamar seus pecados de pecados sem eufemismos. Nunca se esconderem sob o manto de vítimas amparadas por questionáveis estudiosos do comportamento humano. O que semearmos isso ceifaremos, conforme escreveu o apóstolo Paulo em Gálatas 6.7.

“Porque todos pecaram e destituídos estão da glória de Deus,Romanos 3:23 Versão Revista e Corrigida (ARC)

Sim, todos pecaram; todos fracassaram, e não puderam alcançar o glorioso ideal de Deus”, Bíblia Viva

Dona Lhermitte ou os abusadores de crianças têm direito a nova oportunidade. É o que diz a Palavra de Deus. Jesus Cristo é a Graça imerecida. Evangelho significa Boa Notícia. A boa-nova sobre a chegada da Graça, o Deus-conosco. A Graça que pode levar o ser humano a mudar de caminho, sair da morte para a vida.

“Porque a graça de Deus se há manifestado, trazendo salvação a todos os homens, 12 Ensinando-nos que, renunciando à impiedade e às concupiscências mundanas, vivamos neste presente século sóbria, e justa, e piamente, 13Aguardando a bem-aventurada esperança e o aparecimento da glória do grande Deus e nosso Salvador Jesus Cristo; 14 O qual se deu a si mesmo por nós para nos remir de toda a iniqüidade, e purificar para si um povo seu especial, zeloso de boas obras”, Tito 2.11-14 ARC

Mas, como o próprio texto bíblico diz (“renunciando à impiedade”), tudo deve ser feito com ordem e decência, senão a sociedade se autodestrói na cadeia de impunidades e indisciplina. Em nome do amor se mata namoradas, esposas, bem como as “ex”. Em nome do amor ilimitado e desvirtuado se praticam barbaridades contra indefesos.

Amor verdadeiro pressupõe justiça e regras, caso contrário nossos carros não teriam freios, buzinas e tampouco as ruas teriam semáforos encravados nas esquinas. Que a sra. Lhermitte receba a disciplina adequada e possa se recuperar emocionalmente e especialmente alcançar o perdão de Deus, de seus parentes e da sociedade em que estava inserida.

Esse é um papel fundamental do Evangelho do Senhor Jesus Cristo: salvar os que se perdem. Que erram feio. Que passam a ser olhados com raiva por quem se considera normal e menos pecador.

“Porque o Filho do homem veio buscar e salvar o que se havia perdido”, Lucas 19:10 ARC

Jesus lhe disse: ‘Isso mostra que hoje a salvação chegou a esta casa. Este homem era um dos filhos perdidos de Abraão, e Eu, o Messias, vim buscar e salvar almas como a dele’“, BV

Jesus foi acusado de beberrão e comilão por que se envolvia com o que chamamos hoje de “gente que não presta”. Ele sentou-se à mesa com corruptos, como Zaqueu, o publicano. Manteve diálogo com “mulheres-da-vida”, desprezadas da sociedade, a exemplo da samaritana com quem “puxou assunto” à beira de um poço só para salvá-la juntamente com toda uma cidade (João 4). Entrou na casa de fariseus, aceitou unção dada por uma “mulher pecadora”. Acolheu crianças quando queriam enxotá-las. Ele veio para isso mesmo. Veio para as “donas Lhermites” sem-futuro da vida e todos nós.

“E Jesus, saindo, viu uma grande multidão, e teve compaixão deles, porque eram como ovelhas que não têm pastor; e começou a ensinar-lhes muitas coisas”, Marcos 6:34 ARC
Assim é que a enorme multidão de sempre estava lá quando Jesus desceu do barco; Ele teve penas deles, porque eram como ovelhas sem pastor, e lhes ensinou muitas coisas que precisavam saber“, BV

Entretanto, ao contrário da psiquiatria e dos Le Mondes, há um detalhe essencial nas páginas do Evangelho: TODOS os problemáticos, psicóticos, traumatizados, abusados mal-amados que se aproximaram de Cristo receberam uma palavra honesta de amor e justiça: doutores e outros confusos integrantes da elite, como Nicodemos e o jovem rico; prostitutas, ladrões de galinha ou do dinheiro público; hipócritas, criminosos, como Lhermite, condenados à morte de cruz ou a pedradas, gente triste e outros desesperados.

TODOS os que abriram mão de seus pontos de vista pessoais falíveis, que preferiram experimentar a opinião divina, que escolheram negar a si mesmos para agradar a Deus foram transformados. Não permaneceram na sua condição original!

Isso está ao alcance de todos aqui e agora.

“Vinde a mim, todos os que estais cansados e oprimidos, e eu vos aliviarei. 29 Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas. 30 Porque o meu jugo é suave e o meu fardo é leve, Mateus 11.28-30 ARC

“Venham a Mim e Eu lhes darei descanso – todos vocês que trabalham tanto debaixo de um jugo pesado”. 29 “Levem o meu jugo – porque ele se ajusta perfeitamente – e deixe que Eu lhes ensine; porque Eu sou manso e humilde, e vocês acharão descanso para suas almas; pois só Eu faço vocês carregarem cargas leves”. 30 “Levem o meu jugo – porque ele se ajusta perfeitamente – e deixe que Eu lhes ensine; porque Eu sou manso e humilde, e vocês acharão descanso para suas almas; pois só Eu faço vocês carregarem cargas leves”, BV

José San Martín
‘Consagro a Deus o que escrevi’

Por favor, reproduza nossos conteúdos à vontade, mas dê os devidos créditos ao autor e ao blog http://www.josesanmartin.com.br/ – Deus o(a) abençoe!

Anúncios

2 comentários em “HUMANISTAS E SUA JUSTIÇA PARA DESUMANOS

  1. Considero extremamente preocupante esse tema, e é uma pena que quase não esteja tendo reflexos no debate público. O humanismo de araque dessa patrulha do “politicamente correto” acha justo inocentar os piores bandidos em nome de uma presumida “culpa social” de toda a sociedade.
    Pelo raciocínio torto dessa gente, o criminoso não é quem entra atirando em um ônibus pra depois incendiar o veículo com gente dentro. A verdadeira “culpa”, na noção distorcida dessa patota, seria da “sociedade”, que não deu oportunidades ao pobrezinho fragilizado.
    Uma ova. Como parte dessa “sociedade” a quem a esquerda adora atribuir culpas, não me sinto culpado de nada.
    E é bom lembrar, isso não acontece só na França. O Brasil está cheio desses humanistas de araque.

  2. NINGUÉM ACEITA JESUS, POIS A GRAÇA VEM DE CIMA PARA BAIXO.
    NINGUÉM AMA JESUS , POIS SEGUNDO ELE, QUEM O AMA CUMPRE SEUS MANDAMENTOS.
    NINGUÉM TEM A FÉ VIVA, POIS A FÉ SEM OBRAS É MORTA E FAZER A OBRA É CUMPRIR OS MANDAMENTOS DE JESUS.
    NO DIA DO JUÍZO TODO JOELHO SE DOBRARÁ DIANTE DA MAGESTADE DE JESUS; ELE SEPARARÁ SEUS AMIGOS DE SEUS INIMIGOS E AMARÁ SEUS INIMIGOS, POIS ELE NÃO É HIPÓCRITA E NOS ENSINOU A AMAR NOSSOS INIMIGOS.
    JESUS NÃO DEIXARÁ NENHUMA OVELHA PERDIDA PARA TRÁS, POIS ELE É O BOM PASTOR.
    PARA QUE EXISTE O INFERNO?
    -PARA SABERMOS ONDE DEVERÍAMOS ESTAR SE NÃO FOSSE A GRAÇA IMERECIDA, POIS:
    DEUS É AMOR!

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s