Blogosfera cristã: Pelo uso consciente dos blogs


profi.jpgPor Valmir Nascimento Milomem

www.comoviveremos.com

Todos quantos utilizam a internet sabem perfeitamente como as horas e os minutos passam sem que percebamos. Duas ou três horas na frente de um computador, especialmente navegando na internet e editando blogs, voam rapidamente. Visitar blogs, fazer pesquisas e mudar o design dos “diários virtuais” levam-nos para dentro do computador, e a vida real parece ficar bem distante.

Quem possui um ou vários blogs sabe do trabalhão que dá para mantê-los. Gastamos tempo na personalização do lay-out, na incrementação de acessórios, e na inclusão de links. Ainda, investimos algumas horas em pesquisas, redação de posts e respostas a comentários.

Pode parecer estranho, mas já existe a Associação de Blogolatras Anônimos. Assim eles se definem:

“Somos uma irmandade de pessoas que perderam a capacidade para controlar nossa maneira de blogar. Por isso descobrimos que precisamos de ajuda e apoio de outros blogueiros em B.A. Blogueiro compulsivo, que coleciona incontáveis noites em claro e que já experimentou de tudo neste universo virtual, o B.A. – Blogólatras Anônimos – é a solução para o seu desespero. E quando bater uma crise de abstinência, escreva mais um post!”

Obviamente que o Blogólatras Anônimos é um ação cômica de internautas que riem de suas paixões pela blogosfera. Trata-se de uma associação de cunho virtual que tem como desiderato a exposição de “testemunhos” e a relatação de crises sobre suas vidas de blogueiros e blogueiras que foram contagiados pelo bloglismo, a doença dos blogs.

Por outra via, apesar do seu conteúdo sarcástico, o B.A espelha claramente o processo ao qual muitos estão submetidos, onde a blogagem tornou-se uma espécie de vício, com reiteradas ações compulsivas e de difícil controle. Nesse foco, atitudes como aquela em que o indivíduo não consegue passar um dia sequer sem acessar o seu blog; pensamento constantemente voltado para a sua página na internet; leitura dos acontecimentos com foco basicamente em produção de postagens e a impulsividade para verificar se o post foi comentado, são alguns sinais que demonstram que o blogueiro pode estar entrando em uma área complicada do mundo da internet, cujo final pode ser a blogolatria.

BLOGOLATRIA

No étimo, Ídolo – do Gr. eídolon, s. m., figura, estátua ou imagem que representa uma divindade e que é objeto de adoração; pessoa a quem se tributa muito respeito e veneração; aquilo que é objecto de adoração, de paixão cega.

Em teologia, idolatria é o culto de adoração que se presta a uma criatura ou objeto, tributando-lhe a honra que é devida só a Deus. No sentido estrito, a idolatria é caracterizada pela atribuição a pessoas ou imagens de benfeitorias que em verdade foram feitas por Deus. Já no sentido amplo, a idolatria pode ser caracterizada pela aposição de qualquer coisa na primazia de nossas vidas em detrimento de Deus.

Será que é possível alguém transformar seu blog numa espécie de ídolo? É comum que pessoas nutram pelos seus diários virtuais uma veneraçào excessiva?

Tenho certeza que sim!

Muitos blogueiros confundem seus blogs com suas próprias vidas. Há, inclusive, quem não consiga distingui-las. Obviamente que os blogs representam aquilo que somos e pensamos. Em última instância, um blog é um portfólio publico de pensamentos e pontos de vistas privados. Eles são a extensão do nosso ser no ambiente virtual. Neles, escrevemos aquilo que sentimos e queremos. Colocamos nossas divagações, propósitos e críticas. Como escreve Luiza Lobo, os blogs sãos órgãos sem corpos. “Por mais que se valorize o corpo na internet, o usuário é um não-corpo, um não-lugar, por isso, despido de sua materialidade incômoda.”

Porém, como cristãos e conhecedores da Palavra de Deus que somos, precisamos atentar para a forma como fazemos uso deles e o tempo que dispomos para fazer a sua manutenção. É preciso ter sabedoria para administrar as páginas da internet sob pena de transformá-los em verdadeiros ídolos em nossas vidas, ao ponto de relegarmos ao segundo plano o estudo das escrituras, a família, o lazer e outras atividades importantes.

CUIDADO COM O ISOLAMENTO

Um dos problemas no uso excessivo dos blogs é o separação do mundo real que isso proporciona. Conforme escreve Denise Schittine “o computador aparece então como o meio de comunicação que mais contribui para o isolamento: é feito para ser usado por uma pessoa de cada vez. O uso do computador em casa e no trabalho faz com que o indivíduo se feche para mundo que o cerca, em que as pessoas são conhecidas e as relações são reais, para se abrir num segundo plano, o virtual”.

O isolamento ocasionado pelo uso ilimitado do computador é mais comum entre os adolescentes, os quais passam horas e horas na frente do monitor, navegando em sites de relacionamentos, bate papos e trocas de e-mails; investindo todos os seus esforços e tempo nos relacionamentos virtuais em detrimentos dos diálogos familiares. Esse problema foi alertado pelo Pr. César Moisés no livro “O Mundo de Rebeca”, cuja leitura recomendo.

Apesar de ser mais comum entre os adolescentes, o isolamento e o uso excessivo da internet pode muito bem acontecer entre os adultos, e essa é a advertência que faço sobre o uso racional da blogosfera. Como escreveu Paulo “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém. Todas as coisas me são lícitas, mas nao me deixarei dominar por nenhuma delas.” I Cor. 6.12. Portanto, não podemos deixar que nossos blogs dominem nossas vidas, e ditem o nosso cotidiano.

O MEIO NÃO É A MENSAGEM

Outra anotação necessária que se faz acerca dos blog é que eles não são um fim em si mesmos. São, em verdade, instrumentos tecnológicos que facilitam a produção e a exposicão de idéias a um público abrangente, sem barreiras geográficas. De fato, um eficiente instrumento, cujas benesses já temos abordado e discutido; porém, uma espécie de mídia, nada mais que isso. E uma mídia é exatamente isso: um meio de trafegabilidade da mensagem. O meio não pode e não deve estár acima da mensagem. Assim como a televisão não está acima da imagem, e o rádio acima da música, assim também o blog não é superior ao texto nele publicado.

No âmbito da blogosfera cristã, a nossa mensagem é muito clara: Cristo Salva e transforma. Essa é a mensagem. E o blog é um meio de condução dessa mensagem. Com efeito, o motivo de nossa blogagem não é o blog em si mesmo, muito menos a propagação de nossos nomes; ao contrário, nosso foco principal deve ser o IDE do Senhor Jesus, com vistas a levar conteúdo bíblico à todos quantos acessam nossas páginas.

Assim, como um dos idealizadores da UBE – União de Blogueiros Evangélicos, o apelo e a recomendação que faço aos colegas é exatamente sobre a necessidade de utilizarmos com sabedoria e retidão nossas páginas na internet, tendo sempre em mente que são eles excelentes instrumentos de comunicação, mas cujo foco deve ser sempre a anunciação da Palavra de Deus e da obra de Cristo, buscando sempre fugir da blogolaria e do blogolismo que é o uso desenfreado e ilimitado dos blogs.

Graça e Paz!
Valmir Nascimento Milomem

Anúncios

3 comentários sobre “Blogosfera cristã: Pelo uso consciente dos blogs

  1. .

    Concordo com tudo que Irmão Valmir escreveu sobre o pontencial de vício da Internet, no que diz respeito a Blogs. Por outro lado, o mal nunca descansa. Achar um equilíbrio é dífícil, mas prioritário.

    a: Irmão João Cruzué

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s