BUROCRACIA NO CÉU?


https://i0.wp.com/alentejanando.weblog.com.pt/arquivo/burocracia.gif

por Valmir Nascimento Milomem

Ainda bem que o Reino de Deus não é repartição pública. Senão, imaginemos a situação.
Você, num momento de desespero e angústia, ajoelha-se para buscar a presença de Deus e receber uma resposta para as suas indagações. Pega o ‘telefone’ da oração e ‘disca’ diretamente para o Criador. Porém, quem atende é a telefonista dos céus:


– Secretaria Divina, bom dia! Com quem o senhor gostaria de falar?
Você leva um susto. Afinal nunca ouvira falar da Secretaria Divina; muito menos de uma telefonista dos céus. Mas você é persistente.
– Eu gostaria de falar com Deus, por favor.
– Tem hora marcada? Responde a telefonista.
– Hora marcada? Como assim, hora marcada? Apreensivo, você indaga.
A moça, num tom de especialista explica:
– Muita coisa mudou meu querido. Como Deus andava cheio de compromissos, preocupado com as guerras e a fome das nações, e com o aumento do número das orações direcionadas pra Ele ultimamente, resolvemos fazer uma reorganização/reengenharia no Céu. Assim, para que o senhor possa conversar com Ele, será necessário agendar uma entrevista anteriormente, conforme dispõe o Decreto de Reorganização Superior.
Você não podia acreditar naquilo que acabara de ouvir. Reorganização do Céu, agenda para falar com Deus, era tudo muito estranho.
– Tudo bem! Então eu quero agendar uma entrevista com Deus. Nervoso você assevera.
– Você é crente ou descrente? Pergunta a telefonista.
– Crente ou descrente?
– É! Pois dependendo do seu enquadramento, vou transferir a ligação para o setor responsável. Se for crente, irei transferi-lo para a SRC – Secretaria de Relacionamento com Crentes, comandada por São Pedro; se for descrente, vou transferi-lo para o SRD – Secretaria de Relacionamentos com os Descrentes, comandada por São Paulo. Sabe com é, delegação de competência!
– Tem mais essa ainda?
– Organização meu querido!
– Mas eu nem sei no que eu me enquadro.
– Não se preocupe. Vou acessar nosso novo Sistema de Informações Espirituais e verificar a ficha do senhor e o seu enquadramento.
Depois de algumas tecladas, a telefonista responde.
– A situação do senhor não é muito boa! Nosso sistema esta informando que o senhor tem cometido alguns pecados: traição, adultério, mentiras. Por isso…
– Por isso… o que?
– Antes de ir para o SRC ou SRD, vai ter que conversar na SRE – Secretaria de Reformulação Espiritual. Pois, a condição do senhor tá tão feia que não dá pra falar nem com São Pedro ou São Paulo.
– Estais brincando?
– Não estou não. Estou seguindo a norma de Organizações & Métodos e se eu não fizer corretamente a Auditoria me pega. Ai você já viu né, vai sobrar pra mim.
– Ta bom! Transfira a ligação para a Secretaria de Reformulação Espiritual – Nessa altura você já está mais do que nervoso.
– Só um minutinho, já estou transferindo.
Enquanto toca a música do “pananam” você aguarda, até que:
– SRE, bom dia! Em que posso ajudá-lo?
– Olha, já têm mais de uma hora que estou nessa ligação querendo falar com Deus, mas a telefonista da Secretaria Divina me disse que tenho que conversar com vocês antes de falar com o SRC ou SRD, para depois falar com Deus.
– Não se preocupe meu senhor. Nosso setor é o mais rápido aqui no céu. No mês passado atingimos cem porcento de nossa meta. João, a nossa gerente, é muito competente e vai solucionar o problema do senhor rapidamente.
– Então o que eu devo fazer?
– É simples, basta nos enviar uma petição redigida em papel A4, em três vias, junto com a cópia do RG, CPF, comprovante de endereço, titulo eleitoral e certidão de casamento. Depois, é só aguardar a decisão.


Era pra facilitar, porém…

Tal relato é um completo absurdo. Onde já se viu, o céu com aspecto de repartição pública, São Pedro e São Paulo gerentes de departamentos? Isso vai contra a palavra de Deus e desvirtua toda a realidade bíblica, o leitor deve argumentar.

De fato, o bate-papo acima demonstrado é um exagero. Secretaria Divina, Secretaria de Relacionamento com Crentes e Descrentes ou Secretaria de Reformulação Espiritual só mesmo na ficção e nos textos deste articulista. Porém, entretanto ou no entanto (use qual termo você quiser), o conto acima tem lá a sua pontinha de verdade, qual seja: a burocracia que muitos pregam para se chegar a Deus. Criam uma série de dificuldades para se aproximar do Pai e obstruem os caminhos para o Criador mediante a criação de um amontoado de regras, normas e pessoas.

Quem lida constantemente com o serviço público e com algumas empresas privadas sabe ao pé da letra o que significa burocracia. Horário de atendimento, autorização dos chefes, documentos necessários, carimbos exigidos são somente algumas das formalidades requeridas para atingir determinado fim. Passar por cima dessas exigências, nem pensar. Facilitar as coisas, impossível. O que resta, então, é seguir a norma e fazer o que lhe mandam.

Se analisarmos a origem do termo – burocracia –, verificaremos que, inicialmente, ela tinha como objetivo facilitar as coisas, e não complicar. Tal palavra provém do francês “bureau” (escritório) e do grego “cracia” (administração), o termo nomeia a administração da coisa pública por funcionários de repartições sujeitos a rígida hierarquia e disciplina. Burocrático não é sinônimo de lento, embora muitos usem a palavra com esse sentido; a lentidão é um efeito da tramitação burocrática. Muitas regras e organização resultam no emperramento da máquina administrativa.

No âmbito espiritual vislumbramos a mesma coisa. Toda organização é boa, porém, isso deve ser feito em relação à administração da Igreja e nunca em relação à Deus. Para se chegar a Ele não precisamos passar por nenhum tipo de telefonista, muito menos por um gerente, seja ele Santo, Papa ou Pastor. Ocorre, porém, que as pessoas pensam da seguinte forma: “Se eu posso complicar, pra quê facilitar?” E tome interferência no caminho que leva à Deus.

O Antigo Testamento estava repleto de burocracias. O culto a Deus era devidamente regulamentado; onde, como e quando já estava devidamente pré-estabelecido. Jesus, o Mediador de uma Nova Aliança (Heb. 9:15) veio quebrar esse paradigma, na suas palavras: “Eu Sou o caminho a Verdade e a Vida, ninguém vai ao Pai, senão por mim” João 14:6. Ou nas letras de Paulo “Porque há um só Deus, e um só mediador entre Deus e os homens, Jesus Cristo homem” I Tim. 2:5.

Deus não é um simples Governador de Estado ou o Presidente de República, entretanto, o acesso a Ele é inversamente proporcional à dificuldade que temos para falar com qualquer uma dessas ‘autoridades’. Ir à Ele é uma opção de querer e não uma questão de poder. Falar com Ele é uma ação de orar e não uma regra de agendar.

Assim, dá próxima vez que alguém lhe disser que para falar com Deus é necessário, anteriormente, conversar com outra pessoa que não Jesus, diga a ela o seguinte:

– Olha companheiro (a), se você quer perder seu tempo falando com outras pessoas, problema é seu; pois eu vou direto ao Trono de Graça. Afinal, o Reino não é repartição pública. Deus não é um mero governador e no céu, não há burocracia!

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s