Socorrendo uma geração em flor


por Jossy Soares

Como já dizia o Pregador, uma geração vai e outra geração vem (Ec. 1.4). Um dos grandes problemas de todas as instituições é a sucessão de gerações. Na igreja não é diferente. Muitas vezes a falta de um diálogo aberto com a juventude dificulta a adesão de mais jovens ao compromisso de zelar e sentir-se responsável pela Obra.

O verdadeiro cristão tem que ter um sentimento de responsabilidade para com a igreja e suas atividades. Não podemos simplesmente desfrutar do arsenal de bênçãos outorgadas pelo Senhor e não colaborar no serviço cristão.

Pesquisas têm revelado que a maioria dos cristãos não está engajada no serviço cristão. A continuidade das atividades da igreja depende do que hoje é semeado aos mais jovens.

Jesus prometeu que a igreja será vencedora. Não fosse essa promessa seria muito difícil crer nessa expectativa pois as circunstâncias dizem o contrário. Mas como disse o apóstolo Paulo, esperança que se vê não é esperança (Rm. 8.24), por isso sabemos e temos firme confiança que, ainda que a terra se mude, …, ainda que as águas rujam e se perturbem, (Salmo 46. 2,3), a Igreja será vitoriosa, Deus está no meio dela. As portas do inferno não prevalecerão contra a Noiva de Cristo. Todavia, é importante refletir sobre nossa responsabilidade para com as futuras gerações.

É nesse contexto que entra um importante segmento a ser alcançado: os estudantes.

A formação da personalidade do indivíduo se dá na fase da adolescência e juvenil. É exatamente aí que são semeados os conceitos e valores que informarão o pensamento e a visão de mundo do jovem. O inimigo sabe disso e tem arregimentado suas hostes para atacar. Nós cansamos e descansamos o inimigo não ele sempre está ao derredor tramando algo contra o Reino de Deus. Como diz o antigo hino de Alfredo H. Silva, no Cantor Cristão: “E sem cessar vigia a cada instante que o inimigo ataca sem parar…” .

É muito triste a quantidade enorme de jovens e adolescentes acorrentados pelo inimigo. Nas escolas vemos claramente as manifestações infrutuosas das trevas. As atividades são múltiplas: é o rock metal pesado, são as drogas, as gangues, a libertinagem, a tão louvada irreverência, a perversão sexual, as imorais músicas   funks, a bruxaria e o próprio satanismo dentre outras portas de perdição. Esse é o ambiente escolar da atualidade. Alunos que não respeitam professores, irreverentes, imorais, violentos e, mesmo assim protegidos pela legislação. Legislação essa humanista e profundamente comprometida com o Reino do anticristo.

Reverência, Pureza, honestidade e virgindade são conceitos atacados, ridicularizados e desprezados. O jovem cristão sofre muitas hostilidades nesse ambiente. Por tal motivo é necessário uma atenção especial para com o ministério de evangelismo estudantil. Não somente para ganhar os estudantes para cristo, mas também para fortalecer os nossos jovens, capacitando-os com estudos específicos de maneira que haja um crescimento espiritual sadio e equilibrado. Assim, nossos jovens sairão da defensiva e farão diferença no meio em que vivem.

E o que poderíamos fazer imediatamente para começar mudar a situação? Não é necessário importar teorias enlatadas como se fosse “a galinha dos ovos de ouro”. Não. Como diz John Stot, o Cristianismo é puro e simples. O que precisa ser trabalhado são os conceitos mais elementares da fé tais como salvação, santificação, vida com Deus, amor, graça, humildade, fidelidade, honestidade, caridade, serviço e responsabilidade com a evangelização. Esses conceitos têm que ser trabalhado se possível pessoalmente com cada jovem estudante da igreja. Como os jovens são muitos, nada melhor do que o trabalho com pequenos grupos. Liderança de jovens não é só para organizar conjunto  musical e fazer campanhas de arrecadação. É dever do líder saber a condição espiritual de cada jovem. O verdadeiro líder não é para ficar apenas engravatado e aguardando honrarias. Ele deve saber como está cada jovem, onde estuda, seus problemas emocionais, sentimentais e familiares e trata-los à luz da Bíblia. Somente dessa forma teremos crescimento de fato e não mera ilusão residente no emocional.

Um ministério de evangelismo estudantil tem finalidade dupla: edificar os estudantes cristãos e ganhar os não cristãos. Com jovens bem nutridos espiritualmente poderemos fazer uma grande diferença. Toda igreja que apóia essa iniciativa tem colhido frutos de uma mocidade envolvida com o Reino de Deus e edificando-se mutuamente.

 Para muita gente crescimento espiritual se dá por osmose. Acham que basta algumas palavras, ensaios, cânticos e a “coisa” acontece naturalmente. Ledo engano. Enquanto pensarmos assim continuaremos a ter jovens aparentemente fervorosos, mas fracos espiritualmente. Fracos ao ponto de não saber defender nem praticar a fé que professa. Não podemos enganar a nós mesmos achando que sempre tudo está bem quando na verdade estamos tão carentes de crescimento espiritual.

 Nossa vinha está em flor. Se alcançarmos nossos estudantes, poderemos alcançar os estudantes não crentes e, através do evangelismo estudantil, poderemos alcançar toda uma nação.

 Jossy Soares, membro da AD em Cuiabá-MT, dirigiu a Primeira Revista Grande Templo. Hoje é Presidente da Agência Pés Formosos(MG) e Professor da Escola Dominical no Templo Sede.

www.comoviveremos.rg.com.br – Direitos Reservados

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s